Festa de Santo Inácio de Loyola “Nunca é tarde para se converter a Deus” (Dom Odilo Scherer)


No último domingo (31), às 18h, na tradicional Paróquia São Luís Gonzaga, no bairro da Bela Vista (São Paulo), aconteceu a Celebração Eucarística em honra a Santo Inácio de Loyola e, também, o encerramento do Ano Inaciano que celebrou os 500 anos da conversão do fundador da Companhia de Jesus e os 400 anos de sua canonização, convidando-nos a “ver novas todas as coisas em Cristo”.

A missa solene foi presidida pelo Cardeal Arcebispo Metropolitano de São Paulo Dom Odilo Pedro Scherer e concelebrada pelo Pe. Carlos Alberto Contieri, SJ, Superior do Núcleo Apostólico São Paulo (SP) e Santa Rita do Sapucaí (MG), Coordenador do Cuidado do Patrimônio Histórico e Cultural da Província dos Jesuítas do Brasil e Diretor do Pateo do Collegio, e Pe. Jonas Carvalho de Moraes, SJ, Pároco da Paróquia São Luís Gonzaga. Estavam presentes, compondo o altar, padres da Companhia de Jesus e sacerdotes diocesanos.

No seu discurso de abertura da cerimônia, Pe. Contieri, SJ, em palavra dirigida ao Cardeal Arcebispo de São Paulo, lembrou: “Na Igreja de Cristo, a Companhia de Jesus está a serviço do Evangelho e da vida das pessoas a quem o Cristo Nosso Senhor nos envia através dos mais diferentes ministérios, em comunhão com a igreja, sacramento de Cristo”.

Em sua homilia, Dom Odilo levou todos a refletirem sobre as tomadas de decisões de Santo Inácio de Loyola, que teve uma história de conversão marcada por um sinal interior, estudando a vida de santos e santas. Dom Odilo fez a seguinte provocação aos fiéis presentes: “Que feitos ou efeitos podem ter as nossas decisões e os nossos acertos? Ou até mesmo os nossos erros”? E destacou: “Nunca é tarde para se converter a Deus”.

Nesse contexto, o Arcebispo recordou quanto bem a conversão de Santo Inácio trouxe para a Igreja e para a humanidade: “Sempre devemos lembrar, que não apenas na sua vida, como breve existência, este caso importa, mas todo processo que ele desencadeou, todo processo de ação, de presença na Igreja, mas também na sociedade, na educação, na escola e na missão. Foram tantas formas de se interessar pelo bem do desenvolvimento das pessoas e da sociedade, quanto bem veio pela tomada de decisão de um homem. Naturalmente, ela desencadeou o mesmo processo em tantos outros e continua a desencadear, por isso a Companhia continua viva e continua a realizar a sua missão em nossos dias”.

Dom Odilo agradeceu ainda pela presença, missão e obras da Companhia de Jesus na cidade: “Quero agradecer profundamente por esta presença, por esta participação na vida da Igreja do Brasil. Aliás, São Paulo começou com os jesuítas, Manoel da Nóbrega, Pe. Anchieta e muitos outros que aqui vieram para a missão do Planalto de Piratininga, em 1554. Foi aí que começou a história da cidade de São Paulo”.

A celebração teve ainda, a participação da Schola Cantorum Pateo do Collegio, sob a direção artística e regência de Felipe Bernardo e do Coro Luther King sob a direção artística de Sira Milani, além do Organista convidado, Bruno Tadeu.

Texto: Ana Paula Nogueira Campos Ludwig, coordenadora de Marketing de Edições Loyola
Fotos: Larissa Maia Artoni, coordenadora de Comunicação do Pateo do Collegio