Morre aos 84 anos Pe. Stan Swamy, SJ, defensor das causas indígenas

O jesuíta contraiu covid-19 e faleceu na segunda-feira (5/07)

Faleceu nesta segunda-feira, 5 de julho, na Índia, o padre jesuíta e defensor das causas indígenas, Stan Swamy, aos 84 anos de idade. O sacerdote estava preso desde outubro de 2020, falsamente acusado de ter ligações com movimentos maoístas e ser responsável por uma revolta em 2018. Pe. Stan, que padecia de várias enfermidades, inclusive Parkinson, contraiu covid-19 na prisão de Taloja e, por isso, havia sido transferido para o Hospital Sagrada Família de Mumbai, no dia 28 de maio. No último sábado, 3 de julho, o seu estado de saúde se agravou e ele precisou ser intubado.

Nascido em Tamil Nadu em 1937, sul da Índia, Pe. Stan ingressou na Companhia de Jesus em 1957, e foi ordenado sacerdote em 1970. Desde então, passou a maior parte de sua vida em três lugares: Bangalore, Chaibasa e Ranchi. Em 2006, após a criação do estado indígena de Jharkhand em 2000, ele estabeleceu o centro social zonal chamado Bagaicha, em Ranchi. Este centro tem como foco principal a capacitação dos Adivasis (indígenas), por meio de treinamento, pesquisa, documentação e defesa dos direitos das pessoas sobre suas terras, águas e florestas. Muitas vezes, o jesuíta entrou em confronto com as autoridades pela ineficiência do governo na defesa dos direitos das comunidades desfavorecidas.

Por toda a sua história de vida e dedicação aos direitos humanos dos povos indígenas, Pe. Stan era chamado de “portador da Constituição”, “amigo e guerreiro dos Adivasis” e “aliado dos oprimidos”. 

Em novembro de 2020, o Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Luciano Mendes de Almeida (OLMA) publicou uma carta de solidariedade ao Pe. Stan, na qual retratou a importância e a grandiosidade do trabalho do jesuíta. “Para nós, o Padre Stan Swamy é, sem dúvida, um exemplo de fidelidade radical à grande causa da defesa e proteção dos direitos indígenas em todo o mundo. Agradecemos em particular pelo seu testemunho e encorajamento profético a todas as pessoas, homens e mulheres, jesuítas e outros colaboradores que hoje estão envolvidos neste grande serviço evangélico pela dignidade humana”, diz um trecho do documento.

A Província do Brasil manifesta seu profundo pesar, expressando solidariedade aos familiares e amigos, bem como aos seus companheiros de missão da Província Jesuíta de Jamshedpur. Na fé e na esperança da ressurreição, depositamos nosso olhar na Luz do Senhor, que acolhe nosso irmão agora, no encontro definitivo.

Texto com informações do site da Conferência dos Provinciais Jesuítas da América Latina e do Caribe (CPAL).