SJMR Porto Alegre sensibiliza empresas para contratação de migrantes e refugiados

Assunto foi tema de webinar realizado na última quarta-feira (28)

Fugindo de crises sociais e humanitárias, centenas de venezuelanos e haitianos cruzam todos os dias a fronteira do Brasil na esperança de encontrar melhores condições de vida. Conquistar um emprego é um dos primeiros objetivos nessa nova fase, e para incentivar as iniciativas de empregabilidade, o Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR) de Porto Alegre (RS) realizou na última quarta-feira, 28, o webinar Refugiados e migrantes na sua empresa: contratações que mudam vidas. O objetivo do evento foi sensibilizar empresas, gestores e profissionais de RH na contratação dessas pessoas, promovendo inserção local e a conquista da autonomia financeira. 

Na ocasião, foram esclarecidas as principais dúvidas sobre os procedimentos de contratação de migrantes e refugiados, além de apresentadas experiências bem-sucedidas por parte das empresas parceiras do SJMR Porto Alegre. A iniciativa contou com o apoio da Fundación Panamericana para el Desarrollo (FUPAD) e do Escritório de População, Refugiados e Migração (PRM) do Departamento de Estado dos Estados Unidos, por meio do projeto Integrando Horizontes. 

O SJMR trabalha em prol do fortalecimento da rede de apoio a migrantes e refugiados para facilitar a integração socioeconômica e comunitária dessa população. Para o coordenador da unidade de Porto Alegre, Lucas Nascimento, “a parceria com empresas é fundamental nesse processo, visando uma oportunidade de trabalho para migrantes e refugiados e promovendo a diversidade dentro das empresas”.

A instituição jesuíta também oferece apoio e assistências às empresas durante a contratação, encaminhando perfis selecionados compatíveis com as vagas oferecidas e solucionando qualquer dúvida que surgir durante o percurso.

É importante destacar que a presença de pessoas migrantes estimula a criação e o amadurecimento da cultura de respeito, minimiza as chances de conflitos e de ocorrências dos casos de racismo, preconceito e xenofobia entre os colaboradores. De acordo com Lucas Nascimento, outro aspecto importante é a dinamização da equipe: “contratar uma pessoa de outro país sempre provoca interesse por parte da equipe sobre sua origem, história, costumes e, dependendo da nacionalidade, pode ser uma ótima forma de quebrar estereótipos. Além disso, dependendo do segmento, a presença de estrangeiros pode ser uma excelente estratégia para o atendimento ao cliente desse país ou falante da mesma língua”.