Índia: pedido de libertação do padre jesuíta Stan Swamy é rejeitado


Ontem, 22 de março, foi anunciado que o Pe. Stan Swamy teve sua fiança negada pelo Juiz do Tribunal de Sessões em Mumbai (Índia). Com 83 anos e doença de Parkinson, o jesuíta está preso há mais de 150 dias. O religioso foi preso pela Agência Nacional de Investigação, órgão federal indiano antiterror, em 8 de outubro de 2020, junto com outras 16 pessoas, sob a acusação de “terrorismo maoísta”.

Pe. Stan é um ativista pró-tribal, empenhado em defender os direitos florestais dos Adivasi em Jharkhand, há cerca de 50 anos. A defesa contesta as acusações de quer o jesuíta tenha ligações com a guerrilha comunista e ressalta que as instituições nas quais atuou são ligadas à defesa dos direitos humanos.

Após o anúncio de que a liberdade sob fiança do Pe. Stan havia sido negada, o Provincial dos Jesuítas na Índia, Pe. Jerome Stanislaus D’Souza, publicou a nota abaixo:

“É com tristeza que compartilhamos a notícia que o Pe. Stan Swamy teve sua fiança negada hoje, 22 de março de 2021, pelo Juiz do Tribunal de Sessões em Mumbai (Índia). No entanto, continuamos a ter esperança e a orar para que a justiça prevaleça, e que, em breve, o Pe. Stan será libertado e absolvido após julgamento, pois temos fé profunda na Constituição da Índia e no judiciário.

Oramos a Deus por força e coragem para aguentar este doloroso veredicto. Além disso, oramos pelos advogados Sharif Sheik, nosso advogado no Tribunal de Sessões, e Kritiga Agarwal, que trabalharam incansavelmente para que o Pe. Stan fosse libertado sob fiança. Com garantia das nossas orações, nos lembramos com gratidão dos advogados Mihir Desai e Susan, além de todos aqueles que nos acompanharam neste longo e doloroso processo.

Em particular, gostaríamos de expressar nossa sincera gratidão a todos vocês que nos apoiaram em nossa luta por justiça e pedimos que continuem seus esforços, especialmente por meio da oração. Que Deus abençoe a todos abundantemente!”

Fontes: OLMA e IHU Unisinos