Fra-casso

Poema escrito por Pe. Franklin Alves

Quando, algumas vezes, sentimos um ligeiro

Contentamento com o “fracasso” do outro!

O outro que desistiu… mudou de caminho…

Não foi “capaz”…

E nos sentimos, assim, melhores e mais fortes

Daqueles que “fracassaram”…

Matamos a fome da nossa insegurança

Comendo “os restos mortais” dos sonhos alheios!

Somos abutres famintos! Urubus que espreitam!

Mas…abutres ou urubus também morrem…

 

Pe. Franklin Alves Pereira, SJ.