Pe. Elton Vitoriano toma posse como novo reitor da FAJE

Cerimônia também marcou a abertura oficial do ano acadêmico 2021

A Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), em Belo Horizonte (MG), realizou em 1 de março a cerimônia de abertura do ano acadêmico e a posse do novo reitor, Pe. Elton Vitoriano Ribeiro, que assumiu a função para o triênio 2021-2024, sucedendo o Pe. Geraldo Luiz De Mori. 

Celebração Eucarística na Capela Santo Inácio, no campus da FAJE

A cerimônia teve início com a Celebração Eucarística, na Capela Santo Inácio, no campus da FAJE, presidida pelo Pe. Mieczyslaw Smyda, Provincial dos Jesuítas no Brasil, e concelebrada pelos padres Geraldo De Mori, Elton Ribeiro e Jaldemir Vitório. Em seguida, os presentes se dirigiram ao auditório Dom Helder, onde o Pe. Geraldo recordou alguns momentos do período em que esteve reitor, agradecendo a todos da comunidade acadêmica que o apoiaram em sua missão. Depois de empossado, o Pe. Elton discursou chamando a atenção para os desafios apontados pelo novo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), recém aprovado para o período de 2021-2025, e que deverá nortear as ações da FAJE. O novo reitor é bacharel em Filosofia pela FAJE, mestre em Filosofia pela PUC Rio e doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Itália), e trouxe para inspiração de sua missão, a figura do Pe. João Batista Libanio, falecido há sete anos, destacando o seu ‘equilíbrio’ diante dos desafios, como inspiração para seu trabalho.

Pe. Mieczyslaw Smyda (à esquerda) e Pe. Elton Vitoriano Ribeiro (à direita)

Já o Pe. Geraldo Luiz De Mori, ao longo do próximo triênio, assumirá as funções de coordenador central das atividades de extensão universitária, diretor do Setor de Publicações e Divulgação e coordenador da Central de Ensino à Distância da FAJE.

Após a cerimônia de posse, teve início a aula inaugural do ano letivo, com palestra do secretário executivo da Conferência Eclesial da Amazônia (CEAMA), Maurício López. A CEAMA foi fundada em 2020, e é um organismo episcopal que “promove a sinodalidade entre as Igrejas da região, que ajuda a delinear o rosto amazônico da Igreja e que continua a tarefa de encontrar novos caminhos para a missão evangelizadora”. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM) e da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), na esteira do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazônica, realizado em 2019.

O tema da palestra foi Sinodalidade: um jeito de ser Igreja na Amazônia e no mundo. Maurício López destacou que o caminho sinodal apresenta-se como uma necessidade, uma exigência para que a Igreja consiga efetivamente ser fiel à sua missão.

Texto com informações do portal da FAJE