SJMR inaugura novo centro em Porto Alegre


O Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR Brasil) inaugurou um novo centro de atendimento, em Porto Alegre (RS). A iniciativa ampliará as ações de acolhida, proteção e integração de pessoas migrantes e refugiadas na região no sul do país.

Com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e da Fundación Panamericana para el Desarrollo (Fupad), o novo espaço aumentará a capacidade de atendimento em diferentes áreas de intervenção: Acolhimento e Proteção, Atenção Psicossocial, Assessoria Jurídica, Incidência Política e Integração Socioeconômica e Comunitária.

O coordenador da unidade de Porto Alegre, Lucas do Nascimento, ressaltou a importância do espaço no auxílio às pessoas em busca de ajuda em um novo país. “Algumas pessoas migram por escolha, em busca de melhores condições de vida, outras são forçadas a esse deslocamento. Diante dessa realidade, o escritório de Porto Alegre se propõe a acolher e auxiliar todos que precisarem de ajuda para começar uma nova vida com esperança, segurança e dignidade”, disse.

Lucas também anunciou que, com uma equipe especializada, o SJMR Porto Alegre realizará atendimento presencial a migrantes, por meio de agendamento prévio, obedecendo todas as orientações de segurança aconselhadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como o distanciamento de um metro e meio, uso de máscaras e de álcool em gel.

“Nosso atendimento será realizado de portas abertas para acolher os migrantes e refugiados do nosso estado que precisem de apoio, proteção e integração local. Com esse novo formato e com uma equipe especializada, ampliamos nossos atendimentos e assistência humanitária no Rio Grande do Sul”, destacou o coordenador.

O diretor nacional do SJMR Brasil, Pe. Agnaldo Júnior, enfatizou que, “além de ampliar o atendimento direto a migrantes e refugiados em Porto Alegre e região metropolitana, continuaremos desenvolvendo os projetos que já há muitos anos estamos conduzindo. Também seguiremos nosso trabalho em parceria com outras organizações, assim como a atuação firme nas instâncias de incidência sobre a temática da migração e do refúgio”.

Fonte: SJMR