ONU anuncia o primeiro Dia da Fraternidade Humana

Data pretende ser uma resposta concreta ao crescente ódio religioso dos últimos tempos

O primeiro Dia Internacional da Fraternidade Humana será celebrado pela Organização das Nações Unidas em 4 de fevereiro de 2021. Nesta mesma data, em 2019, o Papa Francisco e o Grão Imame de Al-Azhar, Ahmad Al-Tayyib assinaram em Abu Dhabi (Emirados Árabes) o documento histórico para a paz mundial e a convivência comum. Aprovada por unanimidade pela Assembleia Geral da ONU, em dezembro de 2020, a decisão faz parte do quadro das políticas e das resoluções das Nações Unidas que pedem a reaproximação entre as culturas, promovendo a paz e rejeitando a violência e o ódio.

A iniciativa foi promovida pelo Alto Comitê da Fraternidade Humana, formado em agosto de 2019, para alcançar os objetivos previstos no Documento de Abu Dhabi, como a segurança na liberdade religiosa, de pensamento, de expressão e de ação; o incentivo ao diálogo entre crentes e a proteção de locais de culto; o combate ao terrorismo; a cooperação no relacionamento entre Ocidente e Oriente, Norte e Sul; e a proteção dos direitos e da dignidade das mulheres, das crianças e dos idosos. Os membros do Comitê, entre os quais está o Reverendo Ioan Sauca, Secretário Geral Interino do Conselho Mundial das Igrejas (CMI), apresentaram a proposta em dezembro de 2019 durante um encontro com o Secretário Geral da ONU, António Guterrez.

Em uma declaração, a ONU explicou que a data pretende ser uma resposta concreta “ao crescente ódio religioso que surgiu nestes meses tão afetados pela pandemia da covid-19”. Além do Reverendo Sauca, que é ortodoxo, o Alto Comitê para a Fraternidade Humana é formado por cinco muçulmanos, dois católicos, um rabino judeu e um ex-Secretário Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Além de supervisionar a implementação do Documento de Abu Dhabi em nível regional e internacional, o Comitê também organizará encontros internacionais com personalidades religiosas, líderes, chefes de organizações internacionais e outras partes interessadas. Desempenhará papel central na supervisão da Abrahamic Family House em Abu Dhabi, uma de suas primeiras iniciativas, que encarna a relação entre as três fés abraâmicas e fornece uma plataforma para a compreensão e a coexistência entre suas religiões. Deve-se lembrar que em 14 de maio do ano passado, o Comitê havia promovido um dia especial de oração, jejum e súplica pela humanidade contra o coronavírus, que teve também a participação do Papa Francisco.

 

Fonte: Vatican News e IHU Unisinos