A vida em movimento

Poema de autoria do Pe. Agnaldo Duarte, SJ

Nestes dias de vento
Sem destino e documento
Precisamos do acalento
Pra curar a dor só o tempo

Neste momento, só o tempo
Mas passa tão lento
Precisamos do alento
Como o pão precisa do fermento

Nestes movimentos o fermento
Não é apenas um alimento
É preciso conhecer o sentimento
Que atravanca o corpo por dentro

Neste coração por dentro
Palpita em contentamento
A dor da gente é de sofrimento
Que grita vida adentro

Nestes mares adentro
Além das bússolas me oriento
Nas viagens sem mapas entro
Levo a esperança em dia cinzento

Neste dia tão cinzento
Que o sol se esconde no firmamento
Mudança de comportamento
O amor vive sempre em movimento.

Autor: Pe. Agnaldo Duarte, SJ