Profissionais e estudantes da Unisinos criam rede solidária para ajudar comunidades em risco

Ação pelas redes sociais arrecada fundos para comunidades carentes

Com a grave crise causada pela pandemia de COVID-19, um grupo de professores, funcionários e estudantes da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em parceria com outras entidades, criou uma rede de solidariedade e de proteção social. A iniciativa visa atender mais de 10 mil famílias que enfrentam dificuldades em comunidades, sobretudo nas regiões norte e nordeste da cidade de São Leopoldo (RS), e diariamente sofrem com a falta de acesso a condições básicas de sobrevivência (moradia, comida, materiais de higiene, etc.).

A primeira ação emergencial foi a criação de uma campanha nas redes sociais para solicitar doações por meio da Rede Solidária São Léo, que mantém páginas no Facebook e no Instagram. As arrecadações contribuem para a geração de renda local, já que são produtos vendidos por cooperativas e pequenos produtores locais. As doações são distribuídas com o auxílio das lideranças comunitárias, respeitando as orientações de isolamento social.

Qualquer pessoa pode fazer uma doação, sem valor máximo ou mínimo, e a arrecadação é convertida em produtos de higiene e cestas básicas. Toda a semana é possível conferir a prestação de contas pelas redes sociais. Até o momento, a Rede publicou um balanço das primeiras ações: foram R$ 7.962,00 arrecadados, que se transformaram em 122 cestas básicas, 970 sabões e kits de higiene com água sanitária e 1220 sabonetes produzidos pelo Mundo Mais Limpo, cooperativa que recicla óleo de cozinha. Ao todo, 808 famílias de seis comunidades já se beneficiam com os esforços da iniciativa e de todos os cidadãos de São Leopoldo colaboradores com o projeto.

Fonte: Unisinos (São Leopoldo/RS)