CAC articula rede de solidariedade para arrecadar fundos em meio à COVID-19, no Pará

Campanha atenderá periferias, comunidades ribeirinhas, quilombolas e indígenas

O Centro Alternativo de Cultura (CAC) sempre trabalhou para promover qualidade de vida e justiça social a populações em condições vulneráveis em toda a região metropolitana de Belém (Pará), e neste momento em que a pandemia do novo coronavírus ameaça as vidas não poderia ser diferente. A obra articulou a Rede Amazônica de Solidariedade e Resistência, um coletivo formado por diferentes instituições, igrejas, movimentos sociais e populares e congregações religiosas para arrecadação de recursos financeiros e insumos essenciais. A ação visa diminuir os impactos da doença em famílias que sofrem com a ausência de condições básicas.

Formada por instituições como a Rede Eclesial Pan-Amazônica Brasil (REPAM Brasil), a Igreja Anglicana e os movimentos sociais e populares como o Congresso do Povo e o Coletivo de Mulheres, a rede pretende informar e orientar corretamente as comunidades sobre a COVID-19, com linguagem acessível, incentivando a cidadania participativa e a solidariedade como prática contínua, fortalecendo a participação da sociedade na superação dos problemas sociais e construção do Bem-viver.

“Embora estejamos todos em estado de isolamento social, é muito importante que tenhamos a certeza de que não estamos sós, estamos profundamente unidos pela nossa missão coletiva de defender a vida e os direitos do mais vulneráveis”, disse padre Bruno Schizzerotto, Superior do Núcleo Apostólico do Pará.

Fonte: Centro Alternativo de Cultura (CAC)