Presidência da CNBB visita obras jesuítas em Roraima

Serviços oferecidos no norte do país acolhem migrantes fugindo da crise na Venezuela

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) visitou as instalações do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR) e da Fundação Fé e Alegria, em Boa Vista (RR), na terça-feira, dia 10. A comitiva, formada pelo presidente da CNBB e arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo, dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS) e primeiro vice-presidente, do bispo de Roraima e segundo vice-presidente, dom Mário Antônio da Silva, do bispo auxiliar do Rio de Janeiro (RJ), dom Joel Portella Amado, e do secretário-geral e arcebispo ordinário militar do Brasil, dom Fernando José Monteiro Guimarães, atendeu ao apelo humanitário de acompanhar de perto a realidade de migrantes venezuelanos e as ações da Igreja Católica na região.

A equipe ainda visitou a Operação Acolhida e diversos organismos católicos que articulam serviços de migração na Diocese de Roraima. Conheceu de perto as obras de acolhida realizadas, além de ouvir sobre os principais desafios e discutir formas de aperfeiçoar e avançar nessa missão. Dom Walmor ressaltou a importância dos serviços prestados aos migrantes pelas obras e o compromisso humanitário de cada um. “Trata-se de um problema que diz respeito não apenas a Roraima, mas ao Brasil, ao mundo e a cada um de nós”, ressaltou o presidente da CNBB. 

Para o diretor nacional do SJMR Brasil, padre Agnaldo Junior, a igreja tem correspondido à missão de acompanhar pessoas, ser solidária e não se omitir diante dos desafios que se apresentam com a crise humanitária.“A Igreja Católica é uma aliada importante nessa resposta humanitária, porque nos comprometemos com as pessoas e buscamos salvar vidas. Portanto, é de extrema importância a visita da presidência da CNBB na região de fronteira. Agradecemos a presença dos nossos pastores, que é fundamental para entender melhor a realidade que está instaurada em Roraima, sentir os desafios que o Brasil está vivenciando e demonstrar que temos o respaldo da Igreja em nossas ações. Esperamos, em breve, mais frutos para além das iniciativas que já temos no país afora”, disse Pe. Agnaldo.

Fonte: SJMR