Editorial: 60 anos a serviço da fé, da justiça e da cultura


Em 2018, a Edições Loyola comemora 60 anos de fundação. Em seis décadas de existência como editora e gráfica jesuíta, a instituição ajudou na propagação da fé e na formação de milhares de pessoas por meio de suas publicações. Nesta edição, o informativo Em Companhia relembra a trajetória da Loyola e sua importância para a missão da Companhia de Jesus. Abaixo, confira o editorial da publicação:

Pe. Danilo Aparecido Mondoni, SJ
Diretor e Editor nas Edições Loyola

Editar, imprimir e publicar livros e revistas são atividades que fazem parte de uma tradição jesuítica iniciada por Santo Inácio de Loyola. Diante da necessidade de manuais a preços acessíveis aos alunos, no último ano de sua vida – 1556 –, Inácio decidiu fundar uma tipografia no Colégio Romano; em 1564, a gráfica adotou caracteres árabes em suas publicações e, em 1577, hebraicos. No século XVII e nas reduções guaranis, os jesuítas erigiram a primeira tipografia da América do Sul. A partir do século XIX, em quase todos os países em que se encontravam, começaram a editar revistas e publicações de interesse geral ou especializadas nos campos da espiritualidade, da política, da religião e da cultura – Christus, La Civiltà Cattolica, Études, Stimmen der Zeit.

A equipe de Edições Loyola, que, em 2018, completa 60 anos, haure da mística inaciana e, em seu trabalho, se inspira em António Vieira: “O livro é a mais perfeita imagem de seu autor: tão perfeita, que não se distingue dele, nem tem outro nome; o livro visto por fora não mostra nada, por dentro está cheio de mistérios; o livro, se se imprimem muitos volumes, tanto tem um como todos, e não têm mais todos que um; o livro está juntamente em Roma, na Índia e em Lisboa, e é o mesmo; o livro, sendo o mesmo para todos, uns percebem dele muito, outros pouco, outros nada, cada um conforme sua capacidade; o livro é um mudo que fala; um surdo que responde; um cego que guia; um morto que vive; e não tendo ação em si mesmo, move os ânimos e causa grandes efeitos”(Sermão de Nossa Senhora de Penha de França, Obra completa Padre António Vieira, São Paulo: Loyola, 2015, t. II, v. VII, § V, p. 167).

“Edições Loyola é aberta a todos os horizontes de pensamento e ramos do saber […]”

Edições Loyola é aberta a todos os horizontes de pensamento e ramos do saber e tem como missão o serviço da fé e a promoção da justiça e da cultura. Divulga textos de autores brasileiros e estrangeiros que apresentam real interesse e qualidade em vista da formação das pastorais da Igreja Católica e do enriquecimento cultural e espiritual de seus leitores. Em virtude do diálogo entre o cristianismo e o contexto cultural contemporâneo, suas publicações já encontram lugar no dinamismo da cultura brasileira e suas edições vão do científico ao mais simples e popular.

Consolidada com base na austeridade e na colaboração, em seus 60 anos, a Loyola constituiu um fundo editorial de mais de 5 mil títulos. Entre eles, estão obras de grande valor cultural, como a Suma Teológica, em latim e português; o Dicionário de Filosofia, de Ferrater Mora; as obras completas de Anchieta, Nóbrega e Vieira; e outros projetos de importância capital para a difusão do saber no Brasil. A Loyola publica a revista Mensageiro do Coração de Jesus, que tem cerca de 85 mil assinantes, e outros títulos relacionados à espiritualidade do Coração de Jesus e do Apostolado da Oração, como o Manual do Coração de Jesus.

Para todas essas atividades editoriais, possui um moderno parque gráfico, acrescido agora com impressoras digitais, que lhe permite conciliar rapidez, atendimento e qualidade. A equipe de Edições Loyola, atraída pela plenitude de Cristo, volta todo seu esforço para que a excelência que a técnica lhe permite se some à esperança apaixonada de que dias melhores surjam e se consolidem para todos.

Boa leitura!

Este editorial foi publicado na 47ª Edição do informativo Em Companhia (Agosto 2018). Quer ler a edição completa? Então, clique aqui!