Estudantes participam de evento sobre a ONU

Alunos do Colégio Medianeira desenvolverão trabalhos sobre a organização

Os alunos das 1ª e 2ª séries do Ensino Médio do Colégio Medianeira participaram de uma palestra sobre a ONU (Organização das Nações Unidas), no final de março. O palestrante foi o ex-aluno da instituição jesuíta e, hoje, professor de Relações Internacionais da Unicuritiba, Gustavo Glodes Blum.

O evento faz parte do programa ONU Colegial, desenvolvido pela Rede Jesuíta de Educação (RJE), em diversas escolas e que envolverá os núcleos de Humanas, Ciências Exatas e Linguagens. Neste contexto, no primeiro trimestre, as turmas conheceram a história e os princípios da ONU; o segundo trimestre tematizará as agências da entidade com repercussão internacional; e, por último, os estudantes escreverão um artigo a partir de um problema levantado anteriormente.

Segundo Cláudia Furtado de Miranda, do Serviço de Orientação Pedagógica (SOP) do Ensino Médio, a apresentação dos resultados acontecerá na Feira do Conhecimento. “Vamos fazer também uma simulação da ONU Colegial com a ajuda da Unicuritiba”, comenta a educadora.

Para Blum, estudar o funcionamento da ONU e seu impacto, permite aos estudantes compreender o mundo de maneira mais ampla. De acordo com o professor, essa é uma oportunidade de debater demandas enquanto elas ainda estão em pauta na Organização das Nações Unidas. “Várias questões que vão surgindo ao longo do tempo e ao redor do mundo debatidas pela ONU, ou por outras organizações internacionais, que depois chegam na gente como produto final”, explica.

SOCIEDADE CIVIL

A iniciativa reverbera a preocupação do Medianeira, e também da RJE, de formar sujeitos com consciência global e engajada em transformar o ambiente em que estão inseridos. Na opinião de Blum, a ONU cada vez mais tem dado atenção à sociedade civil e, nesse sentido, é fundamental saber ler e interpretar aquilo que é debatido nas reuniões da entidade. “Muitas vezes a gente lê a notícia no noticiário, mas ele é uma parte muito pequena daquilo que está acontecendo. Nas Relações Internacionais é importante até o aspecto simbólico-cultural, por exemplo, a roupa que eu estou vestindo pode influenciar na negociação entre dois países. Isso acaba tendo consequências que a gente não vê, mas que são profundamente importantes para o funcionamento do mundo”, avalia.

“Uma das coisas que mais aprecio na pedagogia inaciana é o questionamento, a pesquisa”

Gustavo Glodes Blum, ex-aluno do Medianeira e professor de Relações Internacionais da Unicuritiba

O interesse de Gustavo por temas relacionados às relações internacionais nasceu durante seus anos como estudante do Medianeira e inspirado por professores como Francisco Carlos Rehme e Mauro Braga. “Uma das coisas que mais aprecio na pedagogia inaciana é o questionamento, a pesquisa. Eu estava no colégio quando começou o primeiro projeto de pesquisa, na 5ª série (atual 6º ano), e fui fazendo até a 2ª série. Na prática, isso me ajudou quando cheguei na faculdade, pois já sabia o que era um projeto de pesquisa”, explica e completa: “isso reflete diretamente nas aulas que eu dou na graduação”.

Blum ressalta que a formação humana foi o grande diferencial em sua vida, proporcionando uma relação diferente consigo e com os demais. “Dos professores que me formaram no Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio, todos ajudaram a criar essa postura de questionar, participar, me engajar”, diz.

 

Fonte: Colégio Medianeira (Curitiba/PR)