Livro de jesuíta nos convida a conhecer melhor Jesus


Pe. Ronaldo (sentado) durante o lançamento do livro em Salvador (BA)

No início deste ano, o padre Ronaldo Colavecchio, mestre em Teologia e professor da Faculdade Diocesana São José (Fadisi), lançou a obra Conhecendo melhor Jesus de Nazaré: Curso de Cristologia (Edições Loyola). No livro, o jesuíta demonstra conhecimento de obras clássicas e renomadas da Cristologia – campo da ciência teológica que estuda Jesus –, mas também consegue apresentar, de modo simples, acessível e direto, a riqueza dessas obras para todos os leitores. Ele explica que “o livro é uma tentativa de levar o fiel comum ao uso de um método de ler e contemplar os Evangelhos conhecido como histórico-crítico – que a Igreja Católica assumiu, na pessoa do Papa Pio XII, em 1943, e que ainda não é apreciado nem transmitida às novas gerações na catequética e em outras instâncias de formação”.

A primeira parte da obra apresenta uma orientação para pessoas que não têm conhecimento do método histórico. “A maioria dos católicos nunca nem ouviu falar desse tipo de leitura dos livros sagrados. Geralmente, conhecem os textos sagrados tirando este ou aquele trecho que querem abordar”, afirma padre Ronaldo. Nesse contexto, segundo o jesuíta, não leem cada Evangelho do início ao fim para sentir o desenrolar da narração, que nos mostra Jesus obediente à sua identidade de Filho Amado de Deus. Já na segunda parte do livro, o autor apresenta os tópicos associados com a Cristologia quando é ministrada em um instituto superior de ensino. Ele explica que “antes de cada uma das duas partes do livro, o leitor encontra uma lista dos assuntos que serão tratados e fundamentados por numerosas citações que mantêm a consciência de que a fonte de tudo é a pessoa e a trajetória de Jesus de Nazaré”.

“Como pessoas que acreditam em Jesus, devemos ter uma sede de conhecer tudo o que possamos sobre ele”

Pe. Ronaldo

O autor conta que a inspiração para escrever a obra nasceu da necessidade de retomar os livros dos Evangelhos para descobrir traços de um Jesus consciente da sua identidade de Filho. Assim, o livro apresenta pistas para o “aprofundamento do conhecimento de Jesus que nos leva a evitar o moralismo, o fundamentalismo, a alienação, em favor de um apreço pela relação de amizade que Jesus quer ter conosco”, afirma.

Na percepção de padre Ronaldo, muitos cristãos vivem desanimados e, muitas vezes, a fé enfraquece diante das atrações do mundo atual. Por isso, segundo ele, a Igreja precisa de algo que renove, radicalmente, nosso entendimento da fé cristã. E aquilo que Deus nos deu que mais corresponde a esse desejo é a figura de Jesus de Nazaré. “Como pessoas que acreditam em Jesus, devemos ter sede de conhecer tudo o que possamos sobre ele.  Isso implica também um estudo feito com a consciência histórica que nos permite ver Jesus dentro do seu contexto sociopolítico; que nos permite perceber melhor o que o Evangelista está querendo comunicar a nós pela maneira como ele apresenta um Jesus condicionado por sua cultura, sua piedade, sua realidade socioeconômica. Não significa, porém, que poderemos descartar os outros métodos mais habitualmente usados por pessoas simples e sem maiores recursos, nem a maneira mais intelectualizada na parte daqueles de uma formação já adiantada, pois o uso do método histórico não anula outros métodos, mas, sim, os complementa”, conclui.

Essa matéria foi publicada na 42ª Edição do informativo Em Companhia (Março 2018). Quer ler a edição completa? Então, clique aqui!