Alunos ganham destaque em competição de robótica

Estudantes do Colégio Medianeira participaram de evento sobre robôs em SC

Duas equipes das turmas de Robótica do Colégio Medianeira participaram do Robotics Experience 2017, que aconteceu no dia 11 de outubro, em Blumenau (SC). Os estudantes estiveram entre os 700 participantes do evento promovido pela Robomind. A equipe Inventors, formada por Luiz Yohioka, Vicente Hirata e João Pedro de Souza, foi premiada como destaque na mostra.

A competição, considerada uma das maiores do gênero no país, é uma oportunidade de colocar em prática as aprendizagens e habilidades desenvolvidas pelas turmas no dia a dia escolar. Cleber Silva, responsável pelas aulas da atividade na escola, percebe o ensino da robótica como um importante ponto de contato com os conceitos da matemática e da física que são abordadas no currículo regular, além de ser um grande exercício de raciocínio lógico. “A cada aula, os alunos são expostos à informação relativa ao conhecimento técnico, como mecanismos e acionamentos”, diz.

Segundo Silva, na robótica não existe “receita de bolo” e, por isso, os estudantes precisam exercitar sua criatividade e desenvolver soluções de acordo com a necessidade. “Cada grupo pode programar e modificar seu robô como quiser. Nesse momento é que a criatividade e a inovação aparecem, ideias incríveis, muitas delas dignas de patente.”

Vinícius Soares Pinto, coordenador da Midiaeducação do Colégio Medianeira, compartilha da opinião. Para o educador, a robótica prepara os jovens para desafios e exigências de nosso tempo. “O estudante começa a ter noções básicas de programação, linguagem que exercitará o raciocínio lógico e a criatividade na resolução de problemas, competências essenciais para lidar com uma realidade cada vez mais conectada”, comenta.

Reconhecimento

A equipe Robotics, formada por Tiago Santana Nickel, Thiago Zilio Assunção, João Meyer Mühlmann, Leopoldo Meyer Mühlmann e Carlos Eduardo Daenecke Lopes, conseguiu completar todas as missões do evento. Para Cleber, a participação e a troca de experiências também é muito importante. “Todos saíram muito orgulhosos”, afirmou.

As aulas de robótica reforçam o compromisso da escola com a formação de sujeitos capazes de ler o mundo e interpretar – pela fé e justiça social – as suas diversas realidades, e promovendo o “uso fluente dos múltiplos meios tecnológicos na possibilidade de transpor os limites físicos e temporais da sala de aula”, como indica o Projeto Educativo Comum (PEC), da Rede Jesuíta de Educação (RJE)

Fonte: Colégio Medianeira (Curitiba/PR)