Espaço MAGIS Santarém promove II Peregrinação Inaciana

Jovens relatam os sentimentos de vivenciar momentos de oração e solidariedade

A II Peregrinação Inaciana, promovida pelo Espaço MAGIS Santarém, reuniu cerca de 40 jovens, entre 16 e 29 anos. O percurso se iniciou no dia 28 de outubro, na vila de Pindobal, em Belterra (PA), e foi concluído no dia 29, na comunidade de Santo Antônio.

Segundo Gian Franco, voluntário da Comunidade de Vida Cristã (CVX) que, atualmente, coordena o Espaço MAGIS Santarém, a proposta era apresentar a vida de Inácio de Loyola para as juventudes. “Para essa experiência, nada melhor do que fazê-los vivenciar algo semelhante ao que ele fez: a peregrinação. O peregrino é aquele ou aquela que se põe a caminho para viver uma aventura humana e espiritual, fazendo uma releitura da sua vida de forma contemplativa, buscando discernir a voz de Deus”.

Em Pindobal, os jovens foram recepcionados pelo pároco da Paróquia de Santo Antônio, padre José Ronaldo. De lá, foi iniciada a peregrinação, que passou por Iruçanga e Porto Novo, com paradas estratégicas para os pontos de oração e alimentação na caminhada.

Durante a peregrinação, algo que chamou a atenção dos jovens foi a acolhida que sentiam dos diversos moradores dos lugares por onde passavam. Pâmela Antunes, 17, relata que “receber o carinho e o amor das pessoas que nos receberam em suas comunidades ou até mesmo em suas casas fizeram o meu coração transbordar de tanto amor e esperança”.

Para o evento, foram convidados Osinaldo Raphael, 29, seminarista diocesano de Santarém, e Carlos Henrique, 35, ex-aluno do Colégio Santo Inácio, do Rio de Janeiro, para contribuírem com os pontos de oração sobre a vida de Santo Inácio. Para Osinaldo, “a experiência da peregrinação inaciana foi uma oportunidade para rezar o cotidiano ao lado de pessoas que se tornaram especiais, sinal pleno da manifestação de Deus. Essa experiência de encontrar Deus no irmão que está caminhando contigo me ajudou a rezar mais a minha própria vida e vocação”.

Carlos diz que as coisas que mais o marcaram foram a solidariedade das comunidades e o método da peregrinação. “Nas paradas que a gente fez, foi extraordinário receber água, alimentação e apoio da comunidade que não nos conhecia. Tudo isso foi uma experiência muito diferente. E o caminhar sozinho tendo aquele propósito de fazer a oração pessoal e o caminhar em conjunto tendo o propósito de fazer a partilha é muito enriquecedor”.

A Peregrinação Inaciana durou o dia inteiro e terminou na igreja de Santo Antônio, onde os jovens ficaram hospedados e fizeram a vigília de Montserrat. Na manhã do dia seguinte, padre Edson Tomé, diretor do Centro MAGIS Amazônia, instigou os participantes a olharem suas realidades a partir das leituras do “jovem rico” e de “Marta e Maria”, conduzindo-os para os momentos de partilhas.

Pela tarde, os jovens saíram em missão pela comunidade de Santo Antônio, conhecendo os moradores. Ao fim do dia, encerrando as atividades, participaram da Missa de consagração da igreja e dedicação do altar da Paróquia de Santo Antônio, reinaugurada no dia 29, com a presença do bispo da diocese de Santarém, dom Flávio Giovenale. Depois de um longo tempo de revitalização, a comunidade e os peregrinos celebravam este grande momento para a igreja local.

Fonte: Programa MAGIS Brasil