Primeiros anos da Província dos Jesuítas do Brasil é tema de artigo

No material, padre Pedro Pereira discorre sobre a importância das mudanças

Transição e Tensão Criativa da BRA: Principio Integrador da Missão

Todos os dias temos o poder de produzir ciência, porque a realidade e as mudanças nos interpelam noite e dia pelos nossos sentidos. O que acontece é que nem sempre nos damos conta dessa realidade sutil, e ela acaba se tornando meramente informações e não conhecimento. Santo Inácio nos motiva a fazer o “exame de consciência” para nos tornarmos doutores da sabedoria e do discernimento. O tempo sutil jamais escapava a Santo Inácio, pois aí estava a essência do conhecimento. Um homem virtuoso jamais poderia deixar escapar a mudança visível e invisível para organizar sua vida interna e, consequentemente, a externa.

Então, diante da avalição trienal da Nova Província, certamente perguntamos quais são os “benefícios” internos (recursos pessoais) e externos (estrutura, materiais e processos) que percebemos nestes três anos para podermos continuar produzindo conhecimento, discernindo e avançando no processo organizacional? Estamos mudando o que deve ser mudado e mantendo a essência da Companhia de Jesus? Ou a distração do ceticismo, frustração, angústia, confusão e conflito nos amarram e nos congelam no passado? Acredito que estas perguntas ajudam-nos a situar-nos onde estamos e como estamos neste processo organizacional de uma nova Província. […] Clique aqui e confira o artigo na íntegra!

Pe. Pedro Pereira

Diretor Nacional de Fé e Alegria e Aluno em MBA em Gestão Estratégica da FGV (Fundação Getulio Vargas)