Estudantes desenvolvem campanhas contra o câncer

Alunos do Colégio dos Jesuítas utilizaram três línguas para abordar o tema

Os alunos do 8º ano do Colégio dos Jesuítas desenvolveram campanhas publicitárias de prevenção ao câncer, direcionadas para uma comunidade trilíngue, comunicando-se em português, inglês e Libras (Linguagem Brasileira de Sinais).

Com foco no trabalho em equipe, a proposta, que tomou conta do segundo trimestre de 2017, levou os estudantes a lidarem com o planejamento das atividades e a necessidade de desenvolverem a criatividade durante a produção das campanhas. Simultaneamente, orientados quanto ao uso correto e consciente dos meios de comunicação, o exercício previa a veiculação fictícia de mensagens em diferentes formatos e linguagens, próprios de televisão, mídia impressa, redes sociais, banners e outdoors. “Foram muitos dias de preparação para fazermos o trabalho sobre câncer. Confeccionamos cartazes, painéis e muitos outros objetos para mostrar a todos o poder que o câncer tem sobre a sociedade”, destaca o aluno do 8º ano, Gustavo Soares.

Em julho, antes do período de recesso escolar, os estudantes receberam nas salas de aula a visita do professor da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), Rodrigo Geraldo Mendes. Surdo, o educador trabalhou com os estudantes a transcrição de trabalhos para a Língua Brasileira de Sinais. Já no Laboratório de Informática do colégio, com o envolvimento de profissionais do setor, foi elaborado um livro virtual de receitas saudáveis, em português e inglês. “Foi muito interessante perceber que o caderno de receitas saudáveis não ficou só no limite da sala de aula ou da escola. Pais de alunos também contribuíram, enviando pelos filhos algumas receitas, já testadas, para enriquecer a publicação bilíngue”, partilha a professora de Língua Portuguesa, Paula Quinet.

Trabalhando as várias linguagens, os estudantes foram às ruas de Juiz de Fora (MG), onde se localiza a escola, e realizaram entrevistas no centro da cidade. Com as gravações e as informações que reuniram em suas pesquisas, produziram peças audiovisuais.

Na percepção do professor de Ciências, Luiz Francisco Fazza, o projeto também contribuiu para ampliar a preocupação em relação a familiares e amigos, à medida que os estudantes aumentavam o conhecimento sobre o cotidiano de pessoas com câncer. “O trabalho sobre o câncer me ajudou a entender – ou pelo menos tentar entender – como as pessoas se sentem diante da doença. Uns destacam a fé, outros ficam muito tristes e pensam em desistir. Aprendi que temos que viver, amar e sermos felizes. Precisamos ser fortes e lutar juntos com nossos familiares e amigos!”, afirma a estudante Bárbara de Moraes, confirmando a observação do educador.

O protagonismo dos estudantes ao longo do processo foi bastante significativo, modificando, inclusive, a proposta original da equipe pedagógica da escola. Em vez de confeccionarem banners, conforme o pedido dos professores, estudantes propuseram a utilização de painéis existentes no Colégio, com giz e arte, levando em consideração o projeto de sustentabilidade desenvolvido na instituição, denominado #JesuítasVerde. A argumentação dos estudantes foi precisa e os educadores acolheram imediatamente a sugestão, parabenizando-os pela atitude, comprometida com o meio ambiente e o planeta, nossa Casa Comum.

No final do processo, os trabalhos foram apresentados a todos os alunos e educadores envolvidos. E, para celebrar tanta aprendizagem, a série promoveu um café da manhã saudável, com as receitas do livro bilíngue.

Fonte: Colégio dos Jesuítas (Juiz de Fora/MG)