Rosely Sayão participa de bate-papo no Col. Medianeira

A psicológica e consultora em educação conversou com educadores e pais

O Colégio Medianeira, em conjunto com a Associação de Pais e Professores (APP), convidou a psicológica e consultora em educação Rosely Sayão para conversar com educadores, familiares e a comunidade a respeito dos processos pedagógicos abordando A Educação Começa em Casa.

Para Priscila Louise Leyser Santin, presidente da APP, a presença de Rosely Sayão, que esteve na escola no dia 15 de agosto, é uma maneira de celebrar os 60 anos do Medianeira, levando informação e conhecimento de maneira descomplicada. “A Rosely dá dicas bem atuais e relacionadas ao nosso dia a dia. É uma educação voltada à modernidade, sem perder a autoridade de pais”, comenta.

Fernando Guidini, diretor acadêmico do colégio, observa a visita da psicóloga como oportunidade para a reflexão sobre o cenário e a cultura em que a comunidade educativa está inserida. Na opinião do educador, a palestra é uma forma de diálogo com o Projeto Educativo Comum (PEC), ao fomentar o contexto formativo de pais. “Na dimensão quatro do PEC, encontra-se o papel educador das famílias, tematizando a corresponsabilização, a interação e o diálogo, o que contribui com a abertura e trocas de experiências entre as famílias e a escola”, explica Guidini.

Nesse sentido, Rosely esclarece que não existe uma fórmula para educar os filhos. “O que existe são princípios e valores, cada família é uma pequena célula.” E completa: “Durante décadas nos ensinaram conceitos que aprendemos apenas a repetir e repetir e repetir”.

Inter-relação

É fundamental que os vínculos e laços entre as famílias e a escola sejam pautados pela parceria. Segundo Santin, proporcionar oportunidades de novas aprendizagens visando a educação dos estudantes coloca em prática esse compromisso de colaboração.

A opinião é partilhada pelo diretor acadêmico, que destaca o caráter humano da formação do Colégio Medianeira. “É nessa inter-relação que acontece o contato, o convívio, as reações. É nesse processo que todos nós crescemos por meio de uma atitude de abertura. Temos de escutar o outro e caminhar juntos naquilo que é o princípio que nos une: a formação integral de homens e mulheres para e com o demais”, resume.

Segundo Sayão, o relacionamento entre as famílias e as escolas deve ser pautado na justiça mútua por meio do entendimento e do pacto em prol de um mesmo objetivo.

Parceria

A APP desempenha o importante papel de criar pontes entre o colégio e as famílias, fortalecendo a relação e auxiliando nos processos que constituem a comunidade educativa. De acordo com Guidini, é preciso estabelecer parcerias e interagir com as propostas de trabalho idealizadas pela APP. “Estamos todos imbuídos daquilo que é o princípio educativo maior. Termos essa representação é um exercício de diálogo e de aprendizagem”, ressalta.

Como orienta o PEC, a APP é uma ferramenta que trabalha em favor da missão da Companhia de Jesus e da Rede Jesuíta de Educação (RJE), promovendo a cooperação, a participação e a colaboração de todos e de todas para a formação de estudantes competentes, conscientes, compassivos e comprometidos.

Fonte: Colégio Medianeira (Curitiba/PR)