Vídeo de estudantes é finalista em festival

Curta-metragem de alunas do Col. Medianeira participou de competição em Portugal

O vídeo produzido pelas estudantes Maria Eduarda Correa e Pietra Doro Spindola, do Colégio Medianeira, foi um dos finalistas do Festival B Green, competição de vídeos ecológicos, promovido pela OFICINA – Escola Profissional do INA, em Portugal.

O curta-metragem das jovens, que participam da Oficina de Cinema e Fotografia do Colégio Medianeira, envolve múltiplas linguagens, como a poesia, escrita por Pietra, e que é peça-chave para o filme. “A gente pensou primeiro no poema e depois no roteiro. As palavras surgiram na minha mente”, explicou a estudante.

Os vencedores do Festival B Green foram conhecidos no dia 2 de junho. O vídeo das alunas do Colégio Medianeira não conquistou o prêmio, mas para elas participar da competição já foi um grande presente.

Segundo Alexandre Rafael Garcia, responsável pela Oficina do Colégio, o festival é um incentivo à produção audiovisual realizada dentro do Medianeira. Para o educador, essa é uma estratégia de estímulo à criação de vídeos de maneira autônoma e criativa. “A ideia veio delas dentro do espaço físico e acadêmico da oficina”, comentou.

O educador reforçou ainda o caráter interdisciplinar da Oficina de Cinema e Fotografia. Ao trazer à tona questões como a sustentabilidade – que faz parte do projeto da escola Abra seus olhos e veja coisas novas – de maneira crítica e criativa, os estudantes estão colocando em prática a proposta de Aprendizagem Integral. “A Maria Eduarda e a Pietra fizeram algo que vai além do discurso institucional, criaram algo que é realmente delas”, resumiu.

Como exemplifica o Projeto Educativo Comum (PEC), número 32, nas jornadas de práticas pedagógicas e aprendizagens, o professor é mais que um mediador de conhecimento, tendo como função mapear e acompanhar os estudantes para uma apropriação significativa das aprendizagens.

Para Alexandre, testemunhar o desenvolvimento de novas capacidades e habilidades nos estudantes demonstra que o trabalho, a longo prazo, é bem sucedido e motivo de orgulho para toda a comunidade educativa. O educador relembra que as duas pequenas cineastas estão na oficina há cinco anos.

A Oficina de Cinema e Fotografia, e também as demais atividades do Centro de Artes e do Centro de Esportes, é um importante movimento de Aprendizagem Integral e de sensibilização estética, além de fortalecer o Projeto Pedagógico do Medianeira e a busca pela formação de sujeitos competentes, criativos e comunicativos. Em 2016, o estudante Vítor André Guaresi Portela também participou da competição portuguesa.

Conheça o curta-metragem LAR, que foi o único concorrente brasileiro na competição:

Fonte: Colégio Medianeira (Curitiba/PR)