Padre Rambo é homenageado em artigo que trata de sua relação com Pelotas

Jesuíta foi tema de trabalho apresentado em congresso chileno

O trabalho A trajetória do catolicismo popular da Várzea, em Pelotas, RS: O caso do Pe. Pedro Balduíno Rambo, SJ foi apresentado no primeiro Congresso Internacional de Ciências das Religiões, na cidade de Concepción (Chile), que aconteceu entre os dias 23 e26 de maio, e teve como tema Diálogo, educação e tolerância religiosa. O artigo é de autoria de Alessandra Buriol Farinha, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), e de Fabio Vergara Cerqueira, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

O trabalho tem como objetivo dar visibilidade às memórias relacionadas à trajetória do catolicismo popular do bairro Nossa Senhora de Fátima, na cidade de Pelotas (RS). Foram analisadas estratégias de sociabilidade utilizadas pelo padre jesuíta Pedro Balduíno Rambo que, com um carisma diferenciado e reconhecido pela profunda preocupação com os pobres, marcou a gênese, a história e a religiosidade dos moradores do bairro, em meados do século XX.

O artigo é resultado da análise de documentos da Arquidiocese de Pelotas, de fontes primárias como o livro Tombo da Paróquia Nossa Senhora de Fátima (1965) e o livro do Pe. Viriato Bodas (1986), de fotografias antigas e atuais, de periódicos de meados do século XX e de depoimentos de antigos moradores do bairro, coletados por meio da história oral, entre os meses de março a abril de 2015. Foi apontado que as contribuições do padre Rambo na formação deste bairro, sua forma de socialização fraterna, sua maneira de vincular a religiosidade a diversas motivações sociais vivem na memória dos que testemunharam e que, hoje, podem reproduzir aqueles tempos. Padre Rambo faleceu drasticamente em um acidente de trânsito cinco anos após sua chegada ao bairro, o fato emociona os antigos moradores até hoje.

Alessandra é ex-paroquiana da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e fez parte da comissão que esteve à frente das comemorações de 50 anos do local, fundado pelo jesuíta. Os autores ressaltam que o incentivo ao processo de beatificação do padre Rambo traria fôlego e a revitalização da fé em Pelotas e região.

 

Fonte: Antônio Anderson Rabêlo Costa, SJ