Colégio Antônio Vieira promove mesa redonda sobre o jogo baleia azul

Evento contou com a presença de importantes profissionais da área educacional

O jogo ‘baleia azul’ é um fenômeno surgido em uma rede social russa e que tem causando muita polêmica, pois estaria ligado ao aumento de suicídios de adolescentes. O game baseia-se na relação entre os jogadores e os administradores e envolve uma série de tarefas dadas que devem ser cumpridas, normalmente, uma por dia.

A missão de formar jovens competentes, conscientes, compassivos e comprometidos passa pela parceria entre pais e equipe pedagógica e como um caminho de diálogo sobre os desafios vividos pela família na contemporaneidade. Dessa forma, o Colégio Antônio Vieira promoveu a discussão com toda a comunidade educativa em uma mesa redonda com o tema Pensar a educação para além da ‘Baleia Azul’, no dia 4 de maio. Segundo a instituição, a integração entre escola e família deve ser permeada por diálogos que promovam e construam a formação integral.

A diretora geral da instituição, prof. ª Mariângela Risério, afirmou: “Nosso desejo é continuar a refletir e avaliar nosso papel nesta caminhada da educação, de forma que essas indagações possam sempre contribuir com as nossas ações”. A mesa contou também com a presença do aluno Osvaldo Azevedo Navarro; do doutor em Sociologia, Carlos Freitas; e da doutora em Psicologia, Ledâ Lessa, ambos pais de alunos vieirenses. Além do professor de Filosofia, Isaac Lago, e da orientadora educacional e psicóloga, Maria Raquel Valverde, membros da equipe pedagógica.

O debate possibilitou múltiplas visões e referências a respeito do jogo e levantou uma discussão sobre depressão e suicídio na adolescência. Diferentes reflexões acerca do tema foram expostas pelos profissionais, que insistiram na necessidade de um diálogo maior entre pais e filhos.                                 “Devemos evitar as respostas fáceis que explicam esse fenômeno e nos desafiarmos a pensar ‘fora da caixa’ para termos respostas mais firmes”, disse Carlos Freitas, que também atua como advogado, professor universitário e é autor do livro Trabalho docente e saúde.

No evento, pais e alunos puderam refletir sobre seus papéis nas relações sociais. “Achei muito esclarecedor e bastante válido por parte da escola promover um debate sobre um tema tão preocupante”, relatou Pedro Neto, pai de aluno vieirense. Já Osvaldo Azevedo Navarro reafirmou a importância do diálogo. “É muito importante que os pais não desmereçam as angústias enfrentadas pelos jovens para que possamos nos sentir acolhidos e confortáveis para conversar”, finalizou o estudante.

 

Fonte: Colégio Antônio Vieira (Salvador/BA)