Pe. Jesus Hortal: 90 anos de vida dedicados a Deus

Dom Orani Tempesta celebrou missa em ação de graças pelo aniversário do jesuíta

Padres Jorjão, Omar, João Damasceno, diácono Carlos Davis, Dom Orani, Dom Joel, padre Jesus Hortal, cônego José Gomes, monsenhor Sérgio e padre Alexandre

 

No dia 14 de fevereiro, o padre Jesus Hortal Sànchez completou 90 anos de vida. Na ocasião, o cardeal Orani João Tempesta celebrou missa em ação de graças pelo aniversário natalício do jesuíta, na Paróquia São José, no Rio de Janeiro (RJ).

Durante a homilia, dom Orani recordou os anos de dedicação de padre Hortal à frente da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro). O jesuíta exerceu a função de reitor da instituição entre 1995 e 2010. “A ação de graças é o reconhecimento de que Deus conduz a nossa vida. O currículo do padre Jesus Hortal é invejável, não só pelo o que faz à Igreja, mas a sociedade. São 90 anos de vida dedicados à vida religiosa, sacerdotal e acadêmica. Ele faz tudo isso por causa de sua fé, manifestando em quem acredita, Jesus Cristo, a razão da nossa vida”, afirmou o cardeal.

Para o bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Joel Portella Amado, o vigor é uma das mais fortes características de padre Hortal. Disse que o sacerdote jamais deixou de enfrentar um desafio, sempre voltado para a pesquisa e o aprofundamento. “O que mais chama atenção é o seu vigor tanto físico, uma vez que já o vi subir 11 andares da PUC pelas escadas, mas também a maneira com a qual vem usando os dons da sabedoria e do conhecimento que Deus o concedeu. Ele nunca deixou de enfrentar uma questão, seja ela pastoral, ecumênica ou teológica. Sempre se dispôs a estudar, pesquisar e a responder determinado assunto que o fora apresentado”, ressaltou.

“A mim, sobra apenas uma palavra: obrigado. Tudo o que disseram sobre mim não é meu. Tudo é graça. No decorrer desses 90 anos, os meus estudos, trabalhos, tudo o que aconteceu em minha vida é dom de Deus”

Padre Jesus Hortal

Aluna de padre Jesus Hortal ainda quando concluía a graduação, Maria Teresa de Freitas Cardoso, hoje professora de ecumenismo na PUC-Rio e no Seminário Arquidiocesano de São José, contou que aprendeu a dialogar com as demais pessoas de credos diferentes a partir do ensinamento do sacerdote. De acordo com ela, padre Hortal sempre prezou o diálogo, a humanidade e o conhecimento. “Ele me ensinou a atitude do diálogo não somente com os cristãos e judeus, mas com todas as pessoas, independentemente de crença ou ainda que seja ateu. É um homem do conhecimento, aluno da teologia, mas, sobretudo, uma pessoa de humanidade; essa era a postura dele enquanto reitor. Como professor, ele conquista com muita simpatia e conhecimento, de modo que, quando fui sua aluna, o convidei para que fosse meu orientador de mestrado e doutorado. Porém, ainda hoje, continuo sendo sua orientanda, uma vez que sempre estamos recebendo sugestões e diretrizes de alguém que possui tanto conhecimento”, acrescentou.

Emocionado, padre Jesus Hortal agradeceu as homenagens, e atribuiu todas as qualidades dirigidas a ele como graça de Deus.  “A mim, sobra apenas uma palavra: obrigado. Tudo o que disseram sobre mim não é meu. Tudo é graça. No decorrer desses 90 anos, os meus estudos, trabalhos, tudo o que aconteceu em minha vida é dom de Deus. Essa missa linda celebrada nesta noite é uma homenagem a Deus, nosso Senhor, pelas coisas que Ele realizou”, completou.

Clique aqui e leia o depoimento de pessoas que admiram o jesuíta.

 

Fonte: Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Fotos: www.pucpr.br/ arqrio.org