Professor da FEI lança livro sobre desigualdade racial

Pedro Jaime aborda a participação dos negros no mercado de trabalho

Em 20 de novembro, dia da Consciência Negra, o professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Administração do Centro Universitário FEI, Pedro Jaime, lançou o livro Executivos Negros: Racismo e Diversidade no Mundo Empresarial (Edusp), que aborda às desigualdades raciais no mundo empresarial. Inicialmente, apresentado como tese de doutorado do professor, em 2011, o assunto ganhou profundidade na obra, que traz relatos de negros que, apesar das dificuldades, trilharam seus caminhos no mundo corporativo.

“Neste livro, apresento as estatísticas que revelam as desigualdades raciais no mundo empresarial brasileiro. No entanto, me concentro em desvendar quais são as vidas que se escondem por detrás desses números. Em outras palavras, apresento ao leitor as trajetórias sociais e os percursos profissionais de executivos e executivas negros, os obstáculos que encontraram em suas carreiras por conta do racismo e como superaram essas barreiras”, explica o professor.

“Neste livro, apresento as estatísticas que revelam as desigualdades raciais no mundo empresarial brasileiro. No entanto, me concentro em desvendar quais são as vidas que se escondem por detrás desses números”

Pedro Jaime

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social com a cooperação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), ainda há muita desigualdade racial dentro das empresas que atuam no Brasil. De acordo com o levantamento, os negros representam somente 34,4% do quadro de funcionários das 500 maiores empresas brasileiras, apesar de formarem mais de 50% da população nacional.

Quando se avalia especificamente os cargos de liderança, a desigualdade racial se mostra ainda mais gritante: os negros correspondem a somente 6,3% dos profissionais que ocupam cargos de gerência e 4,7% daqueles que estão nos postos de direção nestas mesmas empresas.

“Esse número é muito baixo e reflete uma fragilidade institucional brasileira em relação a políticas de combate às desigualdades raciais. Nos Estados Unidos, por exemplo, desde os anos 1960, após o fim do regime de segregação racial, há políticas de ação afirmativa voltadas para a inclusão dos negros no mercado de trabalho. Essa iniciativa produziu respostas empresariais no país. Porém, nada semelhante aconteceu no Brasil e, a meu ver, isso explica o fato de ainda não termos feito progressos no combate às desigualdades raciais no mundo empresarial”, afirma Jaime.

 

Livro: Executivos Negros: Racismo e Diversidade no Mundo Empresarial

Editora: Edusp (Editora da Universidade de São Paulo)

Páginas: 424

Ano: 2016

Site: www.edusp.com.br

 

Fonte: Blog da FEI | Foto: Ilton Barbosa