Casa MAGIS Manaus promove Mochilaço Jovem


 

“Durante o Mochilaço, nós conseguimos refletir a respeito de nossa casa comum, contemplando a realidade das comunidades por onde passamos, tanto pela questão da natureza e da beleza, como também pela questão da poluição e do lixo”, afirma Jacqueline Oliveira, membro da pré-comunidade CVX Amar e Servir (Comunidade de Vida Cristã) e uma das participantes do 4º Mochilaço Jovem, promovido pela Casa MAGIS Manaus, entre os dias 24 e 25 de setembro.

O evento, que reuniu 65 pessoas, teve como tema Mochileiros, no serviço e cuidado com a Casa Comum e como lema Para que venha o vosso reino de justiça, paz, amor e beleza (trecho da Oração cristã com a Criação – Laudato Si’). O intuito da temática era proporcionar momentos de reflexão sobre a responsabilidade de cada um com a obra da criação. “O jovem pôde viver a justiça socioambiental a partir do seu estilo de vida pessoal e social, com uma sensibilidade ecológica, envolvendo a dinâmica do seu comportamento no dia a dia”, afirma Ana Lúcia Farias, articuladora da Equipe de Comunicação da Casa MAGIS Manaus.

A edição deste ano foi marcada por dois momentos principais: a peregrinação e a missão nas comunidades. Na peregrinação, os jovens tiveram que caminhar por 23km. O percurso teve início na Área Missionária Santa Margarida de Cortona, missão confiada pela Arquidiocese de Manaus à Companhia de Jesus e localizada na periferia da cidade. Durante o trajeto, os jovens foram instigados a refletir com os cinco sentidos (visão, audição, paladar, olfato e tato).

Para Rafaella Moura, jovem atuante na Liturgia da Paróquia Santo Antônio, membro da Pré-CVX Amar e Servir e integrante da Pastoral da Juventude, uma das experiências mais profundas foi a terceira parada de reflexão, em que os participantes rezaram o sentido do paladar, na hora do almoço, no saborear do alimento, o que a fez recordar das pessoas que não o tem.

Os peregrinos seguiram em direção a BR-174, onde vivenciaram o momento de missão junto às comunidades de São João Batista e Aparecida. Os jovens saíram em pequenos grupos e fizeram visitas às casas, encontrando-se com as famílias. Nas conversas, os participantes buscaram conscientizar a comunidade sobre a questão ecológica, além de vivenciarem momentos de oração e bênçãos. “Foi uma experiência muito boa, conseguimos conscientizar as pessoas a cuidar do meio ambiente e pudemos aprender muito mais sobre esse assunto”, conta Robson Novaes, integrante da Pastoral da Juventude da Comunidade Santa Joana D’arc, da Área Missionária Santa Margarida de Cortona.

“Ver tantos jovens peregrinando, refletindo, rezando e construindo um mundo mais sustentável e solidário […] nos faz ter a certeza que devemos continuar sendo presença profética de Deus no meio da juventude”

Padre Silas Moésio, coordenador da Casa MAGIS Manaus

No Mochilaço Jovem, os participantes puderam conhecer de perto o projeto de economia solidária Oca da Juventude, que recicla garrafas PET para fazer vassouras ecológicas. Além disso, participaram da celebração dos Mártires da Amazônia, de uma formação sobre a encíclica Laudato Si’, com o padre Vanildo Filho, e de oficinas de compostagem, reciclagem, jogos socioambientais, dança, dentre outras.

Para o padre Silas Moésio, coordenador da Casa MAGIS Manaus, o Mochilaço Jovem foi um tempo de sensibilização e aprofundamento sobre o cuidado com a casa comum. “Ver tantos jovens peregrinando, refletindo, rezando e construindo um mundo mais sustentável e solidário, ver também adultos acompanhando e colaborando para que os jovens pudessem viver essa linda, desafiante e prazerosa experiência de Deus e de comunhão com a obra da Criação, nos deixa alegres e felizes e nos faz ter a certeza que devemos continuar sendo presença profética de Deus no meio da juventude”, conclui. Ao final do evento, houve uma celebração e a entrega de mudas aos comunitários e aos jovens com o simbolismo do SER + ECOLÓGICO.

Fonte: Casa MAGIS Manaus