Escolástico Luiz Carlos partilha missão vivenciada no teologado


O escolástico Luiz Carlos com os internos da Bienestar Familiar

Há pouco mais de dois anos morando em Bogotá (Colômbia), o escolástico Luiz Carlos de Campos, que está no 2º ano dos estudos de Teologia, no CIF (Centro Internacional de Formação), ainda se surpreende com a diversidade de nosso país vizinho. “A riqueza da Colômbia está no seu povo. Desde que cheguei aqui, tive a oportunidade de conhecer muitos lugares em missão ou a passeio e confesso que é impossível não se sentir acolhido. Acredito que esta seja uma das muitas qualidades dos colombianos”, conta o jesuíta. Segundo o escolástico, o conflito armado entre alguns grupos é uma das duras realidades que a população enfrenta. “Há cerca de 50 anos, os conflitos internos fazem parte da realidade colombiana. Isso, acabou atrasando o progresso do país”, explica.

No teologado, Luiz Carlos ressalta que a convivência com os companheiros é muito harmoniosa. No total, oito jesuítas de diferentes países estão na mesma etapa de formação. “Agradeço a Deus a oportunidade de poder partilhar esse momento com um grupo tão unido e fraterno, que faz da vida comunitária um dos pilares centrais para viver as demais dimensões”, afirma.

“A riqueza da Colômbia está no seu povo. […] é impossível não se sentir acolhido”

Luiz Carlos diz que a vida na comunidade é bastante simples. “Somos mais de 20 companheiros na mesma residência. Aqui, há jesuítas de diversos países, como Argentina, Chile, República Dominicana, México, Inglaterra, Paraguai, Estados Unidos, Equador e Colômbia. Somos diferentes em muitos aspectos, mas temos em comum o desejo pelo sacerdócio e o desejo de seguir a missão de Cristo na Companhia de Jesus”, ressalta.

Na Universidade Javeriana, uma das instituições mais conceituadas da Colômbia, fundada pela Companhia de Jesus no século XXII, Luiz Carlos tem contato com religiosos do mundo inteiro. “Eu destaco o bom trabalho do setor pastoral da instituição, que desenvolve   o   carisma   e a identidade   inaciana   nos   mais   diferentes   setores   da universidade”, diz.

Experiência apostólica

Em Bogotá, além dos estudos, Luiz Carlos atua em uma unidade da ‘Bienestar Familiar’, similar a Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente), existente no Brasil. No instituto, o jesuíta trabalha com crianças e adolescentes em situação de risco, abuso sexual ou que cometeu algum delito. “Essa tem sido uma proveitosa experiência para ir assimilando a teologia que assumo, bem como minha preparação ao sacerdócio”, afirma.

“[…] esse apostolado é um exercício da missão que vou assumir como sacerdote […]”

Nessa missão, o jesuíta conta que a escuta ativa e cuidadosa é fundamental. “Eu percebo que cada um que é escutado se sente acolhido por Deus”, conta Luiz Carlos, que diz escutar cada criança e adolescente individualmente. Além do diálogo, o jesuíta promove partilhas bíblicas e reflexões em grupo. “Aqui, é uma casa de passagem, onde cada interno não fica mais que um mês e meio. Para mim, esse apostolado é um exercício da missão que vou assumir como sacerdote, no qual a escuta atenta é essencial”, garante.

Solidariedade no Equador

Jesuítas que participaram da iniciativa Hogar de Cristo e colaboraram na construção de moradias

Em junho, Luiz Carlos participou de uma missão no Equador com mais três colegas. Durante mais de 20 dias, o jesuíta atuou junto da equipe da Hogar de Cristo, centro social da Companhia de Jesus no Equador, que vem fazendo um importante trabalho, após o terremoto que atingiu o país em 16 de abril. Segundo as autoridades equatorianas, mais de 650 pessoas morreram e cerca de 16,6 mil ficaram feridas. “Para nós, brasileiros, é uma realidade desconhecida, porque, como sabemos, em nosso país não há terremotos. Acompanhar in loco a força e a destruição de algo assim é muito chocante. O epicentro do terremoto foi na cidade de Manta, onde também houve muita destruição, tive a oportunidade de passar por lá e presenciar um cenário impressionante, uma cidade completamente destruída e sitiada pelo exército e pela polícia equatoriana”, relembra.

Segundo o escolástico, a grande maioria das pessoas está vivendo em albergues de lona e em barracas organizadas pelo Exército e pela Cruz Vermelha Internacional. “Fiquei impressionado com a força desse povo em recomeçar de novo, mesmo depois de ter perdido entes queridos e bens materiais”, confessa.

Na cidade litorânea de Pedernales, que vivia exclusivamente do turismo, as pessoas estão buscando novas formas de subsistência. Na região, Luiz Carlos ajudou a Hogar de Cristo na construção de moradias para a população carente. “Nossa missão consistiu em construir casas de madeira e bambu para as famílias mais pobres. Além disso, também trabalhamos na análise dos futuros contemplados dessas moradias”, diz.

“Para mim, essa foi uma experiência muito enriquecedora e renovadora de poder servir onde há mais necessidade”

O jesuíta conta que ficou impressionado com o trabalho da província equatoriana. “Por meio da Hogar de Cristo, a Companhia de Jesus apresentou uma possibilidade de recomeço a muitas famílias, que em sua totalidade são muito pobres. Esse trabalho é o resultado da dedicação de grupos de voluntários formado por ex-alunos de colégios jesuítas e membros de CVX (Comunidade de Vida Cristã)”, explica.

Luiz Carlos destaca a presença dos jesuítas de toda a província equatoriana: noviços, escolásticos e padres. Segundo ele, além da ajuda material, o povo de Pedernales necessita muito de apoio psicológico e espiritual. “Para mim, essa foi uma experiência muito enriquecedora e renovadora de poder servir onde há mais necessidade. Eu pude sair desta experiência com o coração muito agradecido à província equatoriana pela acolhida e testemunho”, declara.

Após dois na Colômbia, o escolástico Luiz Carlos retornará ao Brasil, no final de 2016, para rever os familiares que vivem em Sapucaia do Sul (RS). “Retorno com o coração cheio de alegria e gratidão a Deus e a Companhia de Jesus pela oportunidade de poder estar me preparando para servir mais e melhor. Peço a todos os companheiros orações na certeza de que estamos unidos em Cristo Jesus!”, conclui.

Visita as famílias que receberam as casas da iniciativa Hogar de Cristo

Jesuítas com o provincial do Equador, padre Gilberto Freire (o quarto da esq. p/ dir.)

Membros da comunidade do CIF (Centro Internacional de Formação), em Bogotá (Colômbia)

Membros da comunidade do CIF (Centro Internacional de Formação), em Bogotá (Colômbia)