Alunos do Colégio Loyola participam de voluntariado

Atividades sociais revelam perspectiva integral de formação

O dia 5 de julho, marcou o encerramento das atividades voluntárias do Colégio Loyola, no 1º semestre de 2016. A iniciativa, que integra a dimensão social da Formação Cristã da instituição, proporciona aos alunos uma imersão em diferentes realidades.

No Estágio Social, os estudantes visitam instituições parceiras, como creches e paróquias, já na Ronda Noturna, eles atuam junto às pessoas que vivem em situação de rua, em Belo Horizonte (MG). As atividades envolvem alunos do 7º Ano do Ensino Fundamental à 3ª Série do Ensino Médio, que se inscrevem espontaneamente no início de cada semestre.

Alice Rodrigues e Sofia Barbi, do 9º Ano, são voluntárias há vários anos. Em 2016, elas participaram de visitas ao Hospital Luxemburgo, onde tiveram a oportunidade de partilhar um lanche, preparado pelos próprios alunos, com os pacientes de quimioterapia. “É tão pouquinho isso que a gente faz, preparar um lanche, conversar com aquela pessoa que está sozinha. Mas mesmo esse pouquinho, feito com carinho, faz toda a diferença, pois traz alegria”, diz Sofia.

A motivação das alunas inclui, é claro, a vontade de ajudar, mas também o desejo de conhecer o trabalho das instituições e de outras realidades sociais. Alice destaca que muitas pessoas perguntam se elas ganham avaliações melhores na escola pela participação. “Nós explicamos que não, que somos voluntárias porque queremos, pois quando chegamos lá, conhecemos histórias que nos tiram desse mundinho restrito em que vivemos”, resume.

“A formação humana é muito importante para todos nós. Com certeza vamos continuar ajudando da melhor forma possível, mesmo depois de sair do Colégio. Quero passar aos meus filhos esses princípios”

Luiza Costa, aluna do 9º Ano do Ensino Fundamental, do Colégio Loyola

Mariana Góes e Luiza Costa, também do 9º Ano, participaram do evento de encerramento e identificaram-se com os depoimentos das instituições parceiras presentes. “Na verdade, é difícil saber quem aprende mais. Para mim, é uma reflexão sobre o valor das coisas, sobre o que cada um tem para oferecer”, definiu Mariana. “A formação humana é muito importante para todos nós. Com certeza vamos continuar ajudando da melhor forma possível, mesmo depois de sair do Colégio. Quero passar aos meus filhos esses princípios”, completou Luiza.

Fabiano Carneiro, coordenador da Formação Social do Colégio Loyola, explica que o principal fruto das atividades voluntárias é a sensibilização social. “Essa é uma habilidade que, para ser desenvolvida, precisa ser estimulada. É preciso entender que ali há um encontro de duas pessoas, e que nossas atitudes devem ir além daquele momento isolado”, afirma.

Formação para a vida

A aluna da 2ª Série do Ensino Médio, Fernanda Utsch, utilizou um grupo no Facebook, formado pelos professores e colegas, para tornar público seu sentimento em relação à Ronda Noturna. Leia um trecho:

“Mas o que eu percebi, depois desses meses de ronda noturna, é que essa REALIDADE não é NORMAL. Passar fome NÃO é NORMAL. Não ter um cobertor para se proteger do frio NÃO é NORMAL. Ser tratado como eles são NÃO é NORMAL. Pelo menos não era para ser. (…) E eu me lembro perfeitamente de um morador que veio me explicar o que estava acontecendo e terminou dizendo o seguinte: ‘A gente não pode fazer nada, mas vocês podem. ’ E essas palavras ficaram na minha cabeça, e toda semana eu lembrava. Eu posso fazer uma pequena coisa. Porque se cada um fizer uma pequena coisa, juntos, nós faremos algo enorme. E é por isso que eu resolvi escrever esse texto. Não sejamos indiferentes. NÃO VAMOS DEIXAR QUE ESSA REALIDADE CONTINUE A SER NORMAL! PORQUE NÃO É.”

Fernanda Utsch

Em setembro, as atividades voluntárias serão retomadas. Atualmente, as instituições parceiras do Colégio Loyola são:

  • Creche N. Sra. da Paz, da Paróquia Santíssima Trindade, em Santa Luzia (MG).
  • APAE-BH (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Belo Horizonte/MG).
  • Fundação Fé e Alegria, em Santa Luzia (MG).
  • Instituto Mário Penna (Hospital Mário Penna e Hospital Luxemburgo), em Belo Horizonte (MG).
  • Lar de Idosos Santa Terezinha/Santa Tereza, em Belo Horizonte (MG).
  • Além da colaboração com a Pastoral de Rua da Arquidiocese de BH.

 

Fonte: Colégio Loyola, de Belo Horizonte (MG)