Solidariedade em ação

Colégio dos Jesuítas promove Projeto de Apadrinhamento Social

Em 2016, o Colégio dos Jesuítas iniciou o Projeto de Apadrinhamento Social, no qual a solidariedade é marca registrada. Alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio estão envolvidos na iniciativa, que promove ações com instituições parceiras do Colégio.

As crianças do Infantil até o 5º ano do Ensino Fundamental participam do projeto por meio de campanhas solidárias e de trocas de cartinhas e desenhos, que são levadas aos espaços pelos educadores das séries.

24.06.2016-colegio-dos-jesuitas-social-1

Aluno do 7º ano do Ensino Fundamental confecciona carta entregue na Escola Municipal Bom Pastor, em Juiz de Fora (MG)

Já os alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, realizam visitas semestrais às instituições parceiras, desenvolvendo atividades lúdicas ou de reforço escolar, conforme a necessidade e a especificidade de cada local.

No Ensino Médio diurno as visitas são mais frequentes e envolvem um trabalho personalizado e comprometido, de caráter voluntário e no contraturno das atividades escolares, conforme a realidade das pessoas em situação de vulnerabilidade social assistidas pelas instituições parceiras.

Em atividade

Em maio, os alunos visitaram o espaço Curumim Santa Maria e a Creche Comunitária Celsa Moreira de Souza, ambas localizadas em Juiz de Fora (MG). “Todos nós fomos recebidos com imenso carinho pelos educadores e pelas crianças, que nos aguardavam ansiosos e que prepararam até uma dança para nos apresentar. Vimos o sorriso e o agradecimento sincero de cada um… foi realmente comovente! Em momentos assim, vivemos o que diz a oração de São Francisco: É dando que se recebe…”, confessa a coordenadora da Educação Infantil do Colégio dos Jesuítas, Amanda dos Reis Santos Gonçalves.

O 7º ano do Ensino Fundamental visitou a Escola Municipal Bom Pastor, no bairro Cidade Jardim, em maio. Acompanhados pelo professor de Ensino Religioso, Gerry Adriano da Silva, os alunos levaram cartas confeccionadas nas salas de aula e bombons para os novos colegas. Segundo a estudante Marina Vianello de Souza, a experiência foi bastante significativa. “Quando cheguei lá, vi como todas as crianças eram lindas, educadas e carinhosas. Entrando nas salas, vi um grande sorriso em seus rostos e, logo, comecei a me apegar a elas. Na saída, foi bem difícil. Havia uma menina que, para não sentir tristeza por deixá-la, prometi a mim mesma que voltaria. Adorei a experiência, pois me fez sentir uma pessoa melhor”, partilha a jovem.

 

Fonte: Colégio dos Jesuítas