Cardeal Ravasi participa de aula magna na PUC-Rio

Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano falou sobre a encíclica Laudato Si’

Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, SJ, recepcionou o cardeal italiano Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano

Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, SJ, recepcionou o cardeal italiano Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano

O cardeal italiano Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano, ministrou a Aula Magna da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), no dia 8 de abril. Com o tema A Ética na Laudato Si’, ele abordou a relação entre ética e sustentabilidade e pediu à sociedade para “celebrar sempre, e jamais devastar a criação”. O cardeal explicou que, apesar de o termo sustentabilidade ter se tornado muito popular nos dias atuais, o termo muitas vezes apenas “enche bocas, e deixa indiferentes as mãos”.

O reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, SJ, e o grão-chanceler da Universidade e arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal dom Orani João Tempesta, recepcionaram o ilustre convidado, que ressaltou a importância da encíclica. “O apelo do papa Francisco na Laudato Si’ é como um chamado à união de toda a família humana, na busca de um desenvolvimento sustentável e integral para proteger nossa casa comum, o planeta”, afirmou. O cardeal Ravasi ainda complementou que “é importante unir a questão ecológica à dimensão existencial, social e histórica – à própria dignidade humana”.

“O apelo do papa Francisco na Laudato Si’ é como um chamado à união de toda a família humana, na busca de um desenvolvimento sustentável […]”

Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura do Vaticano

Segundo Ravasi, experiente crítico dos textos sagrados cristãos, a relação entre o homem e a criação – ou seja, a natureza – é, primeiramente, de contemplação. A palavra grega kalós, muito presente no Livro do Gênesis, que trata da criação do mundo, pode ser traduzida como belo ou bom. Para o cardeal, isso significa que ver e cuidar da natureza é um tipo de experiência estética.

A Bíblia também ressalta, apontou Ravasi, uma estreita relação entre a humanidade e a terra: o homem é pó, e ao pó retornará. O ser humano desrespeita a natureza porque teria esquecido dessa aliança primária feita com Deus, a de guardar e proteger a criação. O cardeal explicou que a Igreja Católica tem seguido a linha de Estados e organizações internacionais nos esforços para definir o que é sustentabilidade e criar uma agenda ecológica. Ele citou, por exemplo, a Assembleia Geral da ONU, em dezembro de 2002, que definiu o arco entre os anos 2005 e 2014 como o decênio da educação para o desenvolvimento sustentável.

Ao fim da solenidade, o vice-reitor, padre Francisco Ivern Simó, SJ, e o ex-reitor da PUC-Rio padre Jesus Hortal Sànchez, SJ, entregaram ao cardeal o diploma de honra ao mérito e a Medalha Cardeal Leme, maior condecoração que é conferida pela Universidade. Padre Josafá ressaltou a importância de trazer autoridades, como Cardeal Ravasi, para dialogar com a comunidade acadêmica. “Como casa do conhecimento científico e cultural, consciente em sua missão de zelar pela sua excelência acadêmica, cultivar os valores cristãos e dialogar com a sociedade, a PUC-Rio, como primeira universidade católica e comunitária do Brasil, sempre se enriquece quando temos a oportunidade de ouvir a voz de grandes intelectuais como o Cardeal Ravasi”, disse o reitor, que entregou ao cardeal uma cópia do livro de sua autoria Laudato Si’: um presente para o planeta, que será lançado em breve.

Fonte: jornaldapuc.vrc.puc-rio.br