FEI comemora 75 anos de história

A instituição já formou mais de 50 mil profissionais nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia

13.04.2016-fei-celebra-75-anos-2Em 2016, o Centro Universitário FEI completa 75 anos de fundação. Uma história que começou no dia 4 de março de 1941, quando o padre Roberto Saboia de Medeiros (foto) fundou, no bairro da Liberdade, em São Paulo (SP), a ESAN (Escola Superior de Administração de Negócios), a primeira escola de administração da América Latina.

A criação da ESAN só foi possível porque o padre Saboia, prevendo a intensa industrialização e fomento da economia brasileira na década de 1940, conseguiu o apoio de empresários que, por meio de doações, apostaram na iniciativa. O objetivo da instituição era formar profissionais qualificados para o setor empresarial, que tivessem aptidões em pesquisa científica e que atuassem com base em valores humanísticos e éticos.

Em 1945, dando continuidade a esse objetivo, padre Saboia instituiu a FCA (Fundação de Ciências Aplicadas) e, após um ano, criou a FEI (Faculdade de Engenharia Industrial). O primeiro curso oferecido pela instituição foi o de Engenharia Química, posteriormente, foram criadas as demais engenharias: Civil, de Automação e Controle, de Materiais, de Produção, Elétrica, Mecânica, Química e Têxtil.

A partir da década de 1950, houve uma mudança significativa nas características das indústrias da região do Grande ABC, em São Paulo. Após uma série de investimentos privados e estatais, as empresas começaram a necessitar de mão de obra especializada. Dessa forma, esse cenário impulsionou a transferência dos cursos de Engenharia da FEI para um novo campus, em São Bernardo do Campo (SP). Em 1999, a FCI (Faculdade de Informática) iniciou suas atividades, oferecendo o curso de Ciência da Computação. Em 2002, a ESAN, a FEI e a FCI foram agregadas em uma única Instituição, com a criação do Centro Universitário FEI.

Hoje, com dois campi na Região Metropolitana de São Paulo, o Centro Universitário FEI tornou-se referência entre as instituições universitárias do país nas áreas de Administração, Ciência da Computação e Engenharia, tendo formado mais de 50 mil profissionais nos vários cursos de graduação e pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado). “Ao longo de seus anos de história, o Centro Universitário FEI se desenvolveu pautado em princípios claros, como a formação integral de pessoas, o efetivo diálogo com a cultura, a articulação do ensino, da pesquisa e da extensão, o desenvolvimento da criatividade, a qualidade como fim, a inovação como meta e a ciência e tecnologia a serviço do homem e da sociedade”, afirma o reitor do Centro Universitário FEI, Prof. Fábio do Prado.

“Ao longo de seus anos de história, o Centro Universitário FEI se desenvolveu pautado em princípios claros, como a formação integral de pessoas […]”

Prof. Fábio do Prado, reitor do Centro Universitário FEI

Para a vice-reitora de Extensão e Atividades Comunitárias da FEI, professora Rivana Marino, esses profissionais são um dos indicativos da contribuição da instituição. “Para mantermos nosso compromisso de atender demandas sociais, precisamos nos manter atualizados, de modo a agregar parâmetros de qualidade acadêmica às necessidades dos setores industriais e empresariais. Isto gera conhecimento e forma pessoas que serão atores dos processos de inovação tão demandados pela sociedade atual”.

Atualmente, a FEI desenvolve estudos nas áreas de gestão da inovação, processos de inovação, além de metodologias aplicadas às organizações, automobilística, robótica, inteligência artificial, engenharia de produção, biocombustíveis e energia. “Nossa visão inovadora, de priorizar a tecnologia para melhoria da qualidade de vida, continuará a orientar cada uma de nossas escolhas e passos institucionais. Desse modo, a Instituição seguirá cumprindo, na prática, sua inspiração fundacional: atuar em vista do bem maior, do novo, do mais justo. Estamos prontos para, com ousadia e segurança, escrever esse futuro”, reforça o Prof. Fábio.

 

Fonte| Centro Universitário FEI