Alunos do Colégio Anchieta (RS) conquistam prêmio

Estudantes desenvolveram carteira impermeável e receberam o prêmio de melhor miniempresa do Brasil

Na foto (esq. p/ dir.), Luíza Tubino, Gabriela Mottin, Maria Eduarda Pletsch e Isabella Drechsler.

Com uma carteira impermeável, produzida a partir de material reciclado de garrafa pet, a miniempresa LEV, do Colégio Anchieta de Porto Alegre (RS), conquistou o prêmio de melhor miniempresa do Brasil em 2014. A empresa ganhou R$ 5 mil na cerimônia do Prêmio Miniempresa, realizada no dia 17 de dezembro, na sede do Sebrae Nacional, em Brasília. Dentre outros critérios, a miniempresa do Anchieta se destacou pela viabilidade de mercado, pelo desenvolvimento do produto e pelas estratégias de marketing.

A LEV reúne 35 estudantes do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Anchieta. Na cerimônia, a miniempresa foi representada pelas estudantes Isabella Drechsler, Maria Eduarda Pletsch, Gabriela Mottin e Luíza Tubino, que receberam o prêmio em nome da equipe. “Nós pesquisamos muito o produto para que fosse sustentável e agradasse todos os públicos”, afirmou Luíza Tubino, de 16 anos.

As carteiras utilizam um papel especial que foi comprado em São Paulo. A produção ficou por conta dos estudantes, que não utilizaram costura ou cola e ainda produziram o produto em diversas estampas – uma delas foi cedida pelo artista plástico Romero Britto, depois que um membro do grupo conseguiu o contato de sua empresária. Os estudantes ainda aproveitaram as sobras de papel para fazer o cartão de divulgação da empresa.

A um preço unitário de R$ 20, os estudantes venderam cerca de 2.100 carteiras entre março e julho de 2014. “Participamos de feiras em shopping e conseguimos encomendas de grandes empresas, que se interessaram por oferecer nossas carteiras como brinde de fim de ano”, diz Luíza.

O Prêmio Miniempresa é uma parceria da Junior Achievement e do Sebrae para estimular o empreendedorismo entre jovens. No programa Miniempresa, desenvolvido em escolas de Ensino Médio, os alunos organizam e operacionalizam uma empresa fictícia, adquirindo experiência prática em economia e negócios.

Em 2014, 560 miniempresas participaram da competição em todo o país. Trinta delas estiveram na etapa final, em Brasília, que contou com uma feira aberta ao público para a venda dos produtos.

Fonte: ASAV