FEI se classifica para Maratona de Programação

Alunos do curso de Ciência da Computação disputarão a final nacional da competição em novembro

Na foto: Prof. Paulo Sérgio (4ª pessoa da esq. para a dir.) com a equipe de alunos programadores da FEI.

Uma equipe de três alunos do Centro Universitário da FEI venceu uma das etapas regionais da 19ª Maratona de Programação 2014, no dia 13 de setembro, em Santos (SP). Realizada pela Sociedade Brasileira de Computação, a competição reúne alunos de graduação e pós-graduação na área de Computação, estimulando a criatividade, o trabalho em equipe, a busca de novas soluções de software e a habilidade de resolver problemas sob pressão. Entre 14 equipes de quatro instituições de ensino, o time da FEI obteve a classificação para a etapa nacional, que ocorrerá em Fortaleza (CE), nos dias 7 e 8 de novembro. Os vencedores irão para a etapa mundial, que acontecerá em maio de 2015, no Marrocos. A estimativa é que participem do evento cerca de 90 mil estudantes, de 24 mil Instituições de ensino de todo o mundo. A Maratona de Programação dá aos vencedores grande visibilidade no mercado de trabalho.

Composta pelos alunos Ismael Silva, Matheus Zamberlan e Miller Horvath, o time da FEI teve cinco horas para resolver os problemas entregues no início da competição. Para dar conta da tarefa, os estudantes tiveram à disposição apenas um computador e material impresso, entre livros, listagens e manuais. “A maior dificuldade foi identificar a resolução dos problemas, pois alguns exigem teorias mais complexas”, conta Horvath, 22 anos, aluno do 5º semestre de Ciência da Computação da FEI. “O conhecimento adquirido em um ano de preparação, com três a quatro horas por dia de dedicação, no período de aulas, nos ajudará muito no mercado de trabalho e também na pós-graduação”, completa.

Os times receberam os enunciados do desafio no começo da competição. Então, os competidores deveriam descobrir os problemas mais fáceis, projetar os testes e construir as soluções. A cada submissão incorreta, os juízes penalizavam o time com redução de tempo. A equipe que conseguiu resolver o maior número de problemas, no tempo acumulado com as penalidades, saiu vencedora.

De acordo com o professor de Ciência da Computação, Paulo Sérgio Rodrigues, organizador do projeto Maratona de Programação na FEI, os vencedores dessa competição costumam ganhar visibilidade no mercado e são contratados por grandes empresas de tecnologia. “Trata-se de um grupo de estudos de programação avançada, e quem participa acaba melhorando o nível acadêmico. Já nos classificamos quatro vezes para a final brasileira, em sete edições da competição. Atualmente, temos 40 alunos envolvidos nesse projeto, que é um meio de estímulo à produção acadêmica de recursos humanos de alto desempenho”, finaliza.

Maratona de Programação

O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Computação e existe desde 1996. Desde o ano de 2006, vem sendo realizado em parceria com a Fundação Carlos Chagas. A Maratona nasceu das competições regionais classificatórias para as finais mundiais do concurso de programação Association for Computing Machinery, o ACM International Collegiate Programming Contest, e é parte da regional sul-americana do concurso. Várias universidades do Brasil desenvolvem concursos locais para escolher os melhores times para participar da Maratona de Programação. Estes times competem na Maratona (e, portanto na regional sul-americana). Os melhores são selecionados para participar das Finais Mundiais do evento. No ano de 2013, quase 30 mil estudantes de cerca de 2.300 escolas de mais de 90 países competiram em regionais em todo o planeta, e mais de 100 participaram das Finais Mundiais do evento, em Ecaterimburgo, na Rússia.

Fonte: FEI