Paróquia Santíssima Trindade celebra Anchieta

Padre Passos celebrou missa para mais de 250 pessoas

A Paróquia Santíssima Trindade comemorou a festa de São José de Anchieta, no dia 22 de junho. Na ocasião, o padre José dos Passos celebrou uma missa, que reuniu cerca de 250 pessoas.  O clima era de alegria, tanto pela novidade do título de Santo, concedido a Anchieta pelo papa Francisco, no dia 3 de abril, como pela nova igreja, do bairro Nova Esperança, dedicada ao padroeiro e erguida com a contribuição de toda a paróquia.


A igreja recebeu um novo telhado, que foi fruto da grande mobilização das comunidades da Paróquia Santíssima Trindade, na semana que antecedeu a missa festiva. Padre Passos fez memória da última missa celebrada no terreno em que seria erguida esta igreja, ainda em 2013, quando foi apresentada a pedra angular da nova edificação, e recordou que uma obra como esta não se faz, de forma alguma, a partir de uma iniciativa solitária. “Essa construção que nos acolhe, não foi feita com o dinheiro de uma pessoa, mas esta sendo erguida com o esforço de toda a nossa comunidade de São José de Anchieta, e também com as outras oito comunidades que compõem nossa paróquia”.


Ao iniciar a celebração, padre Passos destacou a santidade de São José de Anchieta, não apenas pelo título que a Igreja lhe ofereceu. “Hoje celebramos pela primeira vez a festa do nosso padroeiro, agora com o título de santo. Mas a sua santidade deve ser lembrada não apenas por este título, mas pela experiência de Deus que fez Anchieta, cujo exemplo de vida deve servir para todos os cristãos”, destacou.


E, o exemplo de vida deixado por Anchieta, foi sentido, percebido e tocado pelos fiéis que acompanharam a Eucaristia. Mais uma vez, lembraram a generosidade das pessoas que não são da região, mas que contribuíram para que a igreja fosse levantada. Para José dos Passos, essa ação solidária só acontece quando Deus toca no coração das pessoas e faz com que elas ajudem gratuitamente a quem precisa.


Durante sua homilia, padre Passos partilhou que os santos em nada são diferentes de nós, eles vivem dificuldades assim como a gente, mas mesmo diante de todas as adversidades, fazem a opção de seguir a Jesus Cristo. “Anchieta, mesmo convivendo com uma doença desde os 17 anos de idade, fez uma experiência de Deus, experiência que nós também podemos fazê-la. Ele sentiu no coração que Deus sempre caminha conosco, que nunca nos abandona e que está presente em nós, que Deus é amor”.


Fonte: Paróquia Santíssima Trindade