Congresso presta homenagem a Anchieta

Pe. Palácio participou da cerimônia realizada no Senado

Na foto, da esquerda para a direita: Provincial da Companhia de Jesus no Brasil, Pe.  Carlos Palácio; arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer; deputado federal José Linhares; deputado federal Gabriel Chalita; secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner; núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni d´Aniello e o deputado federal Lelo Coimbra.

O Congresso Nacional prestou uma homenagem a José de Anchieta, canonizado no dia 3 de abril. O padre Carlos Palácio, provincial da Companhia de Jesus no Brasil, participou da sessão solene, que foi presidida pelo deputado federal Gabriel Chalita.

Dom Giovanni d’Aniello, Núncio Apostólico do Brasil, dom Odilo Pedro Scherer, cardeal e arcebispo de São Paulo, e dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) também participaram da sessão, realizada em 21 de maio, em Brasília.

O padre Carlos Palácio se emocionou durante a cerimônia e, em seu pronunciamento, falou da importância do Senado Federal em reconhecer Anchieta como referência constitutiva da história do Brasil. O jesuíta ressaltou que o reconhecimento do Apóstolo do Brasil é uma alegria para a Ordem religiosa. “Esse vínculo tão estreito, que, com Anchieta e seus primeiros companheiros, nos une à gênese da identidade social e cultural do nosso país, é uma honra para a Companhia de Jesus”, ressaltou.

 

Trechos do pronunciamento:

“Para nós jesuítas, está canonização tem lugar no momento preciso em que a Companhia de Jesus no Brasil organiza sua missão como uma unidade. Tanto de estrutura, quanto de horizonte, a chamada Província do Brasil, após quase cinco séculos. Estamos hoje, portanto, muito próximos do que foi a realidade de Anchieta e seus companheiros, para os quais a missão era o Brasil como uma totalidade em construção.”

“Que Anchieta nos ajude a transformar as nossas fragilidades pessoais e sociais em força de comunhão, que brota do conjunto. Que São José de Anchieta nos ensine a arte de acolher, respeitar e integrar as diferenças, numa unidade maior. Que ele abra nossos olhos para a realidade polivalente das nossas raízes culturais, e nos torne capazes de entrar pelo caminho da convivência que contribui para a integração, porque sabe recriar consenso e, dessa forma, reinventar um futuro mais rico, mais justo por ser mais original e originário. Muito obrigado!”

No final da página é possível fazer o download da íntegra do pronunciamento.

 

 

Fonte: www.crub.org.br

Fotos: Flickr Gabriel Chalita – Geraldo Magela/ Agência Senado