Receita do sucesso da PUC-Rio

Alunos e professores recebem prêmios e confirmam o perfil de qualidade da Instituição

Equipe AeroRio, do Centro Técnico Científico, repete bom desempenho e é bicampeã de torneio nacional

Nos resultados de rankings como o da Folha de S. Paulo (RUF) e do instituto inglês Quacquarelli Symonds (QS), a PUC-Rio figura como a melhor universidade privada do Brasil, evidenciando os méritos acadêmicos da instituição e confirmando a tradição de excelência no Ensino Superior. Mas, além de brilhar em conjunto, alunos e professores têm talentos particulares que são reconhecidos nas mais diversas áreas do conhecimento. Nos últimos meses, não foi diferente.
De artes e design à engenharia, a comunidade PUC-Rio contribuiu de maneira acentuada para o saber humano. Por consequência, os responsáveis foram premiados por isso. É o caso do professor do Departamento de Artes e Design, Carlos Eduardo Félix, vencedor da 4ª edição do Prêmio Investidor Profissional de Arte (Pipa), ou da equipe AeroRio, bicampeã da classe Advanced da SAE Brasil Aerodesign – campeonato brasileiro de projetos aeronáuticos. E as conquistas não param por aí.
Além de justificar o investimento massivo em ensino e pesquisa, os prêmios individuais confirmam o perfil de qualidade daqueles que fazem parte do corpo coletivo da PUC-Rio. Abaixo foram reunidos alguns dos prêmios que a Universidade recebeu nos últimos meses:
 

Espaços de curvas em esferas
Pedro Zuhlke Paiva d’Oliveira, de 28 anos, aluno de pós-doutorado em Matemática, ganhou uma menção honrosa no prêmio Capes de teses 2013. A premiação anual é concedida aos melhores trabalhos produzidos no país. Orientada pelo professor Nicolau Corção Saldanha, do Departamento de Matemática da Universidade, a tese de Pedro, Homotopies of Curves on the 2-Sphere with Geodesic Curvature in a Prescribed Interval, estuda as propriedades de espaços de curvas na superfície de uma esfera. “Quis explicar como se parece o espaço de todas as trajetórias que uma pessoa, dirigindo um carro na superfície de um planeta, pode fazer com as restrições exercidas sobre o volante”, contou Pedro, que pretende seguir o magistério e considera o prêmio importante para a sua vida profissional futura.
 

Um período de solidão artística
O professor do Departamento de Artes e Design da PUC-Rio, Carlos Eduardo Félix Costa, foi o vencedor da 4ª edição do Prêmio Investidor Profissional de Arte (Pipa). Artista polivalente, Costa ficou um ano recluso em uma cabana na Região Serrana do estado, para desenvolver o projeto Estações, um exercício de solidão e contemplação que fazia parte de sua tese de doutorado pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A premiação foi de R$ 100 mil e Carlos Eduardo terá direito a uma residência artística na cidade de Nova Iorque (EUA). Em meados de 2014, Costa pretende repetir a experiência no deserto de Atacama, no Chile. “Mais do que produzir objetos artísticos, o artista pode se tornar arte”, afirmou.


Equipe conquista bicampeonato em São Paulo

A equipe AeroRio, do Centro Técnico-Científico da PUC-Rio (CTC), repetiu o sucesso de 2012 e conquistou o bicampeonato na classe Advanced do SAE Brasil AeroDesign, uma competição de projetos aeronáuticos.
O evento ocorreu em São José dos Campos (SP), de 24 a 27 de outubro. Com a vitória, o grupo ganhou (novamente) a participação na edição internacional da SAE AeroDesign, nos Estados Unidos, em 2014. O capitão da AeroRio, Igor Lins da Silva, contou sobre a emoção de ver voar um projeto que foi desenvolvido pela equipe desde o conceito até o protótipo final. “Quando você constrói um carro e ele anda, tudo bem, ele andou. É emocionante, mas nem tanto. Mas quando se desenvolve um avião… Ele voa. É completamente diferente”, explicou.
Em março deste ano, a AeroRio participou da edição internacional da SAE Aero-Design, denominada de SAE Aerodesign East Competition. A equipe venceu a etapa de Relatório de Projeto e conquistou um prêmio inédito para a Universidade.
Formada por alunos de graduação e pós-graduação do curso de Engenharia, a AeroRio, com os contornos e propostas atuais, foi formada há cerca de três anos.
Desde 1986, a SAE Aerodesign ocorre anualmente nos Estados Unidos. Mas só em 1999, a competição passou a fazer parte do calendário da SAE Brasil. Equipes da PUC-Rio participaram de quase todas as 14 edições do evento. No entanto, a vitória só veio no ano passado. “A melhor parte de tudo isso é ver o projeto ganhando forma”, disse Igor.

Protótipo de tela exibe imagens em revelo
Vencedor do edital do Instituto Rio Patrimônio 2013, o estudante de Design em Mídias Digitais Rafael Crespo desenvolveu um protótipo de uma tela que exibe imagens em relevo. Chamado de Tangima, o projeto consiste em uma matriz de pixels que se movimentam no espaço.
O trabalho surgiu em 2008, em uma disciplina de Design e Expansão dos sentidos. A proposta inicial era fazer uma tela para que cegos pudessem interagir com imagens e textos digitais. Orientado pelo professor João de Sá Bonelli, em 2012, Rafael resgatou a ideia para desenvolvê-la como projeto final de graduação.
O prêmio foi uma quantia de R$ 30 mil, mais um mês de exposição do trabalho na Galeria D, do Centro Carioca de Design. Tangima será exposto em junho de 2014. Segundo o estudante, o prêmio deu visibilidade e abriu oportunidades para a sua carreira. “Amadureci bastante, pois tive que aprender questões burocráticas, fazer um planejamento coerente, redigir todos os relatórios e documentos necessários”, comentou Rafael.

Carburização mais econômica

O doutor em Engenharia de Materiais, Maurício Marcos Otaviano, recebeu o Prêmio Independente Câmara em agosto deste ano. A homenagem foi oferecida pela empresa
Usiminas em consideração ao trabalho Kinetic of DRI carburization in shaft furnaces, que foi apresentado no 6º Congresso Internacional sobre Ciência e Tecnologia de Fabricação de Ferro (ICSTI), 2012.
O projeto trata da carburização de ferro esponja, ou DRI, que é um fenômeno importante para a produção de aço. O objetivo do trabalho é determinar e modelar condições necessárias para obter o máximo de carbono no DRI de forma mais econômica para o processo.
Para Maurício, o prêmio foi o reconhecimento da comunidade técnico-científica sobre a importância deste assunto, desenvolvido de forma inédita durante quase dez anos de pesquisa. “Foi um incentivo de extrema importância para minha vida profissional. Demonstrou que o nosso esforço em desenvolver pesquisa aplicada de alto nível tem resultado em produtos de alta qualidade”, concluiu.

Premiação por mérito científico
Reconhecido no mundo científico, o professor do Centro de Estudos em Telecomunicações (Cetuc) da PUC-Rio, Jean Pierre von der Weid, foi diplomado como Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico pelo Ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp. A cerimônia de entrega foi realizada no dia 21 de outubro, no Museu Nacional de Brasília.
A premiação é concedida por causa dos méritos ao longo da carreira. A diplomação do professor veio de uma indicação em 2010, no governo Lula. Para von der Weid, essa medalha não cabe apenas a ele. “Tudo o que fiz foi sempre fruto de um trabalho cooperativo, do qual participaram colegas, alunos, funcionários técnicos e administrativos, além da minha família que sempre me apoiou em meu trabalho”, comentou Jean Pierre.
O professor se formou em física pela PUC-Rio, em 1970. Desde então, nunca deixou a Universidade. “Vejo este prêmio como o aplauso a uma orquestra da qual tenho sido apenas o maestro. Aceito a parte que me cabe e transmito a todos as palmas que merecem”, concluiu.

Um modelo matemático

Aluno do 10º período de Engenharia de Produção, Tiago Andrade, recebeu o Prêmio de Iniciação Científica (PIC) do XLV Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional (SBPO). O trabalho foi escolhido por um comitê entre cinco finalistas. “Foi uma conquista importante para mim porque foi um prêmio em um congresso de nível nacional”, disse Tiago.

Aluno do 10º período de Engenharia de Produção Tiago Andrade, recebeu o Prêmio de Iniciação Científica (PIC) do XLV Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional (SBPO). O trabalho foi escolhido por um comitê entre cinco finalistas. O estudante desenvolveu uma heurística, ou seja, um método de solução para um modelo matemático. O prêmio foi um ano de sociedade, com direito a publicações, a participar do Simpósio do ano que vêm, e um HD externo.

Dez mil reais para empreendimento
O Instituto Gênesis se destacou no XXIII Seminário de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas. A Alta Geotecnia, empresa incubada, foi a vencedora do 17° Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador, na categoria Melhor Empresa Incubada. O Gênesis foi um dos 15 selecionados para receber incentivo do Ministério da Cultura, e agraciado com Menção Honrosa da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), por incubar a empresa vencedora do prêmio nacional.
Atuante desde julho 2011, a Alta presta consultoria nas áreas de infraestrutura civil, mineração e disposição de resíduos. Além do troféu, a empresa recebeu um prêmio no valor de R$ 10 mil para investir no empreendimento.
Escrito por Mariane Araújo, coordenadora da Incubadora, por Priscila Castro, diretora-executiva do Gênesis, e Lygia Magacho, professora do IAG, o artigo recebeu o certificado de melhor artigo apresentado no seminário. Foi criado o Sistema de Acompanhamento de Pequenas Organizações (Sapo) que explica como o Instituto desenvolveu a metodologia, considerando áreas de atuação diferentes.
“O artigo é o resultado de anos de estudo dentro do Instituto sobre uma metodologia de acompanhamento e monitoramento de indicadores de desenvolvimento dos empreendimentos incubados, levando em consideração as áreas de atuação diferentes e as taxas de crescimentos diferentes para cada empreendimento”, explicou Mariane.

Fonte: PUC-Rio / Fotos: Divulgação