Jesuíta Pedro Fabro é proclamado santo

Papa Francisco estendeu à Igreja universal o culto litúrgico em honra ao Beato

O jesuíta Pedro Fabro, um dos primeiros companheiros de Inácio de Loyola, foi proclamado santo nesta terça-feira, 17, pelo papa Francisco, que recebeu em audiência privada o Prefeito da Congregação da Causa dos Santos, Cardeal Angelo Amato. No decorrer do encontro, após ouvir o Relatório, o Sumo Pontífice estendeu à Igreja universal o culto litúrgico em honra ao Beato Pedro Fabro.

Para a Cúria dos jesuítas, a canonização do Beato Pedro Fabro tem um significado especial, porque ele é um modelo de espiritualidade e de vida sacerdotal para o atual Pontífice, e, ao mesmo tempo, é um importante ponto de referência para a compreensão de seu estilo de governo.

Pedro Fabro nasceu na alta Sabóia (França), em 1506, e morreu em Roma (Itália), em 1547, poucas semanas antes de ir para o Concílio de Trento. Foi proclamado beato em setembro de 1872, com um texto da Congregação para os Ritos que foi ratificado por Pio IX, que aprovou o culto difundido em Sabóia e entre os membros da Companhia de Jesus. Agora, o Papa Francisco estenderá o culto litúrgico à Igreja universal.

Fonte: Cúria dos jesuítas/ Canção Nova

Foto: www.ihu.unisinos.br