Unisinos exibe documentário sobre a força da educação

Girl Rising mostra como a educação é capaz de alterar a trajetória de vida de diversas meninas

foto
 
A Unisinos apresentou o documentário Girl Rising, um filme que mostra como a educação é capaz de alterar a trajetória de vida de meninas em diferentes países. O documentário voltou à Unisinos cinco meses depois da primeira exibição e em comemoração ao Dia Internacional das Meninas. O evento foi organizado pelas professoras Aline Jaeger,Laura Knijnik e Karine Freire, e aconteceu em paralelo nos campi de São Leopoldo e Porto Alegre.
 
Aline se envolveu com o projeto porque quando a primeira exibição do filme foi feita, as histórias mexeram muito com ela. “No momento em que assisti o documentário pela primeira vez, decidi que faria um evento em comemoração ao Dia Internacional das Meninas”, relatou.
 
A professora foi a responsável por coordenar a exibição do filme em São Leopoldo e aproveitou a oportunidade para unir a debate a um trabalho social. “Tive a ideia de pedir doações para o Lar da Menina, de Novo Hamburgo, porque sou de lá e já fiz visitas à instituição”, contou a professora, empolgada com as possibilidades de reflexão que o documentário oferece.
 
Girl Rising promove a campanha de educação para meninas como ignição para mudar o mundo.  Segundo Aline, a principal mensagem do filme é mesmo essa.“O documentário nos mostra o quanto a educação é transformadora, principalmente para meninas, que normalmente corem mais riscos, de gravidez, estupro, ou até de serem proibidas de estudar”, explicou.
 
Ao entrar no Auditório Central, quem foi assistir ao documentário, foi convidado a pensar sobre o tema e responder a seguinte equação: Meninas + Educação = x. Cada um completava a frase com a resposta que julgasse correta. “Meu objetivo foi entender o que motivou essas pessoas a sair de suas casas, numa quinta-feira à noite, para vir até aqui”, afirmou a organizadora ao falar de sua intenção com a iniciativa.
 
Todas as histórias narradas pelo filme se basearam na vida real de meninas de vários países. Ao final da apresentação, professoras Ana Cristina Ostermann e Maria Cláudia Dal'Igna foram convidadas a falar sobre o tema do documentário. Ao longo da exibição, na plateia, era possível ver a emoção dos participantes com a vivência de cada uma daquelas meninas. 
 
foto
 
Fonte: Unisinos