Alunos dos colégios da Província BRC participam de encontro

25º ENAC foi realizado em Juiz de Fora (MG)

foto
 
Oitenta e oito alunos do Ensino Médio e oito ex-alunos dos sete colégios jesuítas da Província do Brasil Centro-Leste (BRC) participaram, de 4 a 7 de setembro, em Juiz de Fora (MG), da 25ª edição do ENAC (Encontro de Alunos Colaboradores), com o tema Protagonismo Juvenil e Compromisso Social. O ENAC é uma etapa do Projeto de Alunos Colaboradores, desenvolvido nas escolas jesuítas de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, em um processo continuado de formação de lideranças entre alunos do Ensino Médio que possuem algum tipo de experiência de participação nessas instituições, como GAC (Grupos de Alunos Colaboradores), Voluntariado, Representação de Turma, Grêmio Estudantil, Experiências Sociais, Parlamento Jovem, entre outras.
 
Concebido na perspectiva da formação integral dos estudantes, o ENAC, sem se descuidar das demais dimensões do processo formativo, enfatiza a educação política e cidadã, dedicando especial atenção à capacidade humana de se transformar e, simultaneamente, transformar a sociedade, valorizando as diferenças culturais e promovendo a justiça. As estratégias usadas no ENAC percorrem o itinerário do paradigma inaciano. “Os alunos são convidados a fazer uma experiência direta ou indireta do tema, a contextualizá-lo no sentido mais amplo, a refletir sobre suas causas e implicações, bem como se posicionar pessoalmente e avaliar seus juízos e atitudes”, explica uma das organizadoras do Encontro, a educadora do Colégio dos Jesuítas, Flávia Petrosino Dimas de Souza Lima.
 
Além de dinâmicas, trabalhos em grupo, momentos de partilha e tempos de oração pessoal e comunitária, os estudantes, divididos em grupos, participaram de quatro oficinas temáticas: 
 
  • Juventude e Políticas Públicas (com experiência de inserção na Comunidade Olavo Costa e na ONG Casa de Cultura Evailton Vilela);
  • Juventude e Sobriedade (com experiência de inserção na Fazenda da Esperança Santo Antônio de Santana Galvão, comunidade terapêutica que abriga jovens dependentes químicos que desejam se livrar das drogas e do álcool);
  • Juventude e Movimentos Culturais (com experiência de mergulho no Fórum da Cultura, espaço da Universidade Federal de Juiz de Fora que abrange diversos segmentos de manifestações artísticas, com mostras em artes plásticas, espetáculos teatrais, difusão de cultura popular e música);
  • Juventude e Justiça Social (com experiência de inserção no Assentamento Denis Gonçalves, do MST – Zona da Mata/MG).
 
No último dia de atividades do ENAC, os jovens participaram do Grito dos Excluídos, denunciando, ao lado de outros jovens, estudantes, trabalhadores e integrantes de movimentos sociais e populares, um modelo político e econômico que, ao mesmo tempo, concentra riqueza e renda e condena milhões de pessoas à exclusão social.
 
Ao final do Encontro, os organizadores esperam que os participantes reafirmem sua missão com a construção de uma nova consciência, na qual a Vida – e a Vida de todos – possa ser o maior valor das relações do homem em sociedade.
 
“Em 2013, o ENAC trabalhou com o lema 'Esperam por nós nações', propondo dois movimentos: um, interno, no sentido de buscar pelo discernimento inaciano a eleição de nossas causas, referendados na construção do 'Projeto de Vida' a partir do comprometimento com os mais pobres; outro, externo, na medida em que somos chamados a assumir o papel de protagonista em prol da Vida”, destaca o educador do Colégio dos Jesuítas, Marcos Antônio do Amaral.
 
Fonte: Colégio dos Jesuítas (MG)