Refugiados se formam com ajuda do JRS

Quênia e Malawi já têm turmas graduadas em faculdade

foto
 
Depois de anos de planejamento e trabalho duro, em condições adversas, o primeiro grupo de 48 refugiados patrocinado pelo JRS (Serviço Jesuíta aos Refugiados) de pós-graduação se formou. Os formandos refugiados participaram do projeto online inovador em Estudos Liberais geridos pelo JRS.
 
A primeira cerimônia de formatura ocorreu no campo de Kakuma, no noroeste do Quênia, onde 25 refugiados receberam seus diplomas credenciados pela Regis University, uma instituição jesuíta em Denver (EUA). A segunda cerimônia será realizada nesta semana, quando mais 23 alunos em Dzaleka, acampamento no centro de Malawi, vão se formar. 
 
Populações de refugiados estão cada vez mais estáticas. Gerações inteiras são nascidas e criados em exílio. Comunidades de refugiados precisam de seus próprios professores, assistentes sociais, enfermeiros e psicólogos. Caso contrário, eles vão permanecer dependentes dos doadores, ONGs e agências governamentais internacionais.
 
“Este é um momento incrível para estes refugiados, as suas famílias e comunidades. Após serem forçados a fugir em busca de segurança, abrigo, comida e trabalho, a ideia de universidade parecia inatingível. É uma viagem de sobrevivência e renascimento, a transformação nas vidas dos refugiados e de suas comunidades “, disse o Pe. Peter Balleis, Diretor Internacional do JRS.
 
Fonte: JRS