Alunos participam do Parlamento Jovem Brasileiro

Projetos de dois alunos foram selecionados para a edição deste ano

Dois alunos da 3ª série do Ensino Médio do Colégio dos Jesuítas foram selecionados pela Câmara dos Deputados para participar, de 23 a 27 de setembro, da edição deste ano do Parlamento Jovem Brasileiro.

As propostas apresentadas pelos estudantes Giulia Alves Fardim e Igor Malheiros Assad, que em 2012 participaram do Parlamento Jovem desenvolvido pela Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, foram selecionadas entre 1.631 Projetos de Lei encaminhados à Câmara dos Deputados por jovens estudantes de todo o país.

Os dois alunos do Colégio dos Jesuítas serão os únicos representantes da cidade de Juiz de Fora nesta edição do Parlamento Jovem Brasileiro, que contará com a participação de 78 estudantes, das 27 unidades da federação.

Em Brasília, os jovens participarão de uma jornada parlamentar na Câmara dos Deputados, onde atuarão como deputados federais. A simulação da rotina dos trabalhos legislativos pretende despertar os jovens parlamentares para a reflexão crítica e representação política por meio da vivência do processo democrático.

Conheça a ementa dos dois Projetos de Lei apresentados pelos alunos do Colégio dos Jesuítas e que serão debatidos e votados na Câmara dos Deputados:

Giulia Alves Fardim

Ementa: Altera o art. 16 da Portaria nº 940, de 28 de abril de 2011, que regulamenta o Sistema Cartão Nacional de Saúde (Sistema Cartão) a fim de ampliar e aprofundar os dados cadastrais pertinentes ao conjunto de informações do usuário do Sistema Único de Saúde.

“O projeto prevê a inclusão, no 'Cartão do SUS', de dados como o histórico de doenças e de vacinas do usuário, oferecendo ao profissional da saúde outros elementos que possam contribuir para um diagnóstico mais ágil e preciso, reduzindo custos com medicamentos ou procedimentos, além de beneficiar a gestão de dados e estatísticas oficiais”, explica a autora da proposta.

Igor Malheiros Assad

Ementa: Acrescenta à Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que dispõe sobre as diretrizes e bases da educação nacional, um novo parágrafo instituindo a obrigatoriedade de serviço comunitário no currículo escolar dos ensinos fundamental e médio.

“A realização de serviços comunitários ajuda a conscientizar adolescentes e jovens, levando-os a uma mudança de atitude diante da realidade social. O projeto prevê impacto também no cotidiano escolar, marcado atualmente por uma abordagem bastante teórica de conteúdos, presos a avaliações”, destaca o “deputado jovem”.

 

Fonte: Colégio dos Jesuítas