Ciclo de palestras na FEI discute o trabalho em rede

Objetivo foi dialogar sobre assuntos pertinentes à vida acadêmica

foto
 
O trabalho em rede tem sido considerado nas duas últimas décadas a mais significativa inovação humana no campo da organização da sociedade. E foi com o objetivo de discutir a questão do trabalho em rede que docentes, corpo diretivo e funcionários do Centro Universitário da FEI se reuniram para a Semana da Qualidade no Ensino, Pesquisa e Extensão, evento realizado no início de todo semestre, que tem como objetivo dialogar sobre assuntos pertinentes à vida acadêmica.
 
O evento, que teve como tema “O Trabalho em Rede, uma Sinergia de Competências”, contou com a participação de palestrantes convidados que abordaram também a importância da colaboração nacional e internacional em pesquisas.
 
O presidente da FEI, Pe. Theodoro Peters, em sua palavra de acolhida, ressaltou a importância do evento e de como é necessário uma constante qualificação de todo corpo docente, principalmente em um mundo tão globalizado que avança a cada dia em tecnologia e descobertas, e acrescentou: “Existe uma lacuna a ser preenchida em relação à falta de profissionais de gestão e tecnologia no país, e a FEI tem a responsabilidade e o grande desafio, com seus professores e alunos de preencher este espaço, e de ser também um plantel de soluções para muitos problemas da humanidade”.
 
O investimento e o crescimento constante em pesquisas tem sido um dos grandes desafios do Centro Universitário da FEI, mas que tem dado resultado, segundo dados apresentados pelo diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, que também apresentou um panorama sobre a atuação do Estado de São Paulo, os projetos de financiamento concedidos e a colaboração internacional, destacando a evolução da parceria entre a FEI e a FAPESP.
 
“Entre as universidades particulares a FEI é a 4ª colocada em número de concessões, com taxa de sucesso de 60% e existem muitas oportunidades para que a FEI obtenha mais financiamentos entre diversas modalidades, maximizando ainda mais a parceria com a FAPESP”, destacou Brito Cruz.
 
Fonte: Centro Universitário FEI