Capacitação docente reúne professores em evento na Unisinos

Grupo recebeu no ano passado o Prêmio Açoriano de Destaque em Danças Urbanas

foto
 
Um momento cultural abriu a capacitação docente do segundo semestre de 2013 da Unisinos. A universidade recebeu seus professores com recital de canto lírico, interpretação de poemas de Bertolt Brecht feito pela atriz e aluna do curso de Gestão Cultural, Aline Cardoso, e apresentação do grupo B-Boys Restinga Crew.  Juntos há mais de dez anos e formado a partir de uma oficina de dança de rua, o grupo recebeu no ano passado o Prêmio Açoriano de Destaque em Danças Urbanas. As apresentações de dança reuniram vários estilos de música. 
 
A composição da mesa de trabalho contou com a presença do reitor, Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, do vice-reitor, Pe. José Ivo Follmann e da coordenadora da área de formação docente, Miriam Dazzi, que saudou os presentes e lembrou o quanto é importante aproveitar as oportunidades. A professora citou Clarice Lispector em sua fala “As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos”. 
 
Padre Marcelo deu boas vindas ao público e lembrou que há 60 anos surgiu o curso de filosofia. “Uma pequena semente que formou o que hoje é nossa Unisinos”, lembrou. Em sua fala, destacou o aniversário de 44 anos da Unisinos e enfatizou a importância de olhar para o futuro. “Uma universidade jesuíta transforma amor em serviço. Nosso objetivo é ser uma instituição global de pesquisa”, afirmou o reitor.
 
Após o momento cultural e as falas iniciais, a professora da UFRGS, Dagmar Meyer, fez uma palestra sobre “A Postura Investigativa do Ensino Superior”. A palestrante trouxe, para abrir sua apresentação, o fragmento de quatro textos: uma crônica, uma frase de protesto, uma música e um artigo acadêmico, para contextualizar a história da crise social, cultural, financeira e ética no mundo atual. 
 
“Está em crise a nossa crença em pressupostos políticos”, destacou Dagmar. “Isso tudo não precisa ser ruim, pode ser desafiador, quando pensamos na universidade como produtora de conhecimento, que sustenta seu trabalho no tripé ensino, pesquisa e extensão, viabilizando a inserção de profissionais qualificados no mercado de trabalho”. 
 
Ao final da palestra, o público participou enviando questões sobre o tema à pesquisadora.
 
Fonte: Unisinos