Calouros da Dom Helder participam de atividades de recepção

Presidente da OAB-MG, Luís Cláudio Chaves, apresentou "novo universo" às turmas de primeiro período

foto
 
Já no primeiro dia letivo, os calouros da Escola de Ensino Superior Dom Helder Câmara puderam conhecer um pouco mais sobre as diferentes carreiras do Direito e o funcionamento das instituições jurídicas. Coube ao presidente da OAB-MG, professor Luís Cláudio Chaves, apresentar este %u2018novo universo%u2019 às turmas de primeiro período que se reuniram no Espaço Loyola para as atividades de %u2018Recepção aos Calouros%u2019. 
 
Com a experiência de quem atua há 25 anos na área do Direito — e já passou pela advocacia, defensoria pública, docência e diversos cargos em instituições jurídicas — Chaves mesclou casos vivenciados ao longo da sua carreira com informações técnicas das diversas áreas. Para atuar na advocacia, destacou a importância do profissional buscar sempre conhecimentos sobre o tema das causas e não medir esforços para entender o universo do cliente. “Já estudei medicina, pois um dos meus casos envolvia a morte de uma pessoa por trombose. No entanto, na semana anterior, ela havia fraturado a perna em um acidente de trânsito. A trombose teria relação com o ocorrido? A família deveria receber indenização?”, contou aos calouros.
 
Em outra ocasião, foi necessário visitar a empresa do cliente para compreender a causa do elevado número de acidentes de trabalho, que envolvia especificamente o uso inadequado de uma máquina para corte de plástico. “O cliente ficou até surpreso: %u2018Luís Cláudio, você é o primeiro a vir aqui, os outros apenas me pediam para mandar a papelada por fax%u2019. Lembrem sempre: o advogado precisa estar próximo das pessoas”, aconselhou.
 
Chaves falou ainda sobre a realidade dos juízes, promotores, desembargadores e também daqueles que se dedicam exclusivamente aos concursos públicos. No entanto, destacou dois pilares que devem ser lembrados por todos os profissionais, independente da área: o conhecimento técnico jurídico e a inteligência emocional. “Vocês devem buscar, desde o início da vida acadêmica, aliar essas duas capacidades. De nada adianta ser uma juíza bem preparada, se não souber ouvir as partes. Da mesma forma, nada vale ser um advogado conciliador, se faltarem conhecimentos técnicos para fazer uma petição, por exemplo”.
 
Boas-vindas
Outro momento de destaque nas atividades de recepção foi a acolhida com o reitor da Escola, professor Paulo Umberto Stumpf. Entusiasmado, ele falou sobre todos os diferenciais que a Escola oferece ao corpo discente, como biblioteca completa e atualizada, laboratório de prática jurídica e professores altamente qualificados. “Temos aqui o compromisso e a vontade de fazer sempre o melhor. Não medimos esforços para que vocês tenham um ensino de excelência”, ressaltou.
 
Em seguida, falou sobre os ensinamentos e o legado de Santo Inácio de Loyola e Dom Helder Câmara. O primeiro, segundo o reitor, é a base da pedagogia utilizada pela Escola, que tem como principal paradigma o magis, ou seja, a busca pelo máximo. “É uma atitude permanente de buscar sempre o melhor”, explicou. Já Dom Helder Câmara, reconhecido mundialmente por sua luta em defesa dos Direitos Humanos, é o patrono da Escola. “Esse nordestino, humilde e guerreiro, não se conformou com as limitações econômicas e sociais de seu povo. É um exemplo de força e integridade”, completou.
 
Fonte: Dom Total