Fé e Alegria do ES promove arraial

Crianças e adolescentes do Centro Social de Educação e Cultura participaram do arraial "Flor do Caribe"

No mês de junho a animação das festas juninas tomou conta da unidade de Fé e Alegria na Serra, que festejou, em alto estilo, uma das maiores tradições brasileiras. No dia 20 de junho, as crianças e adolescentes do Centro Social de Educação e Cultura de Jardim Carapina participaram do arraial “Flor do Caribe”.

As turmas da manhã e da tarde puderam saborear diversas comidas típicas como cuscuz, canjicão, paçoca e pé de moleque, além de ganhar brindes na pescaria e boca do palhaço. O ponto alto da festa ficou por conta do casamento caipira, que tirou várias gargalhadas dos participantes. Logo depois, veio a famosa quadrilha, com os passos que todos já conhecem e a animação típica dos educandos de Jardim Carapina.

O arraial “Flor do Caribe” também homenageou os aniversariantes do mês, que sopraram as velhinhas em meio aos festejos juninos e com direito a muitos recadinhos no “Correio da Amizade”. Uma curiosidade é que o nome “Flor do Caribe” foi uma escolha dos próprios educandos, após uma eleição entre três sugestões.

Segundo Carolina de Almeida, 13 anos, a festa junina é uma das comemorações mais esperadas pelos educandos de Jardim Carapina, que consideram o evento como um exemplo de integração. “A festa junina é um ótimo motivo para toda comunidade se juntar e participar de uma festa animada”, comentou a educanda.

A festa também garante a participação de todas as crianças e adolescentes. “O interessante é que a festa junina envolve todos os educandos, até mesmo os mais tímidos entram nas danças caipiras”, conta Deyse de Carvalho, assistente social do Centro Social de Educação e Cultura de Jardim Carapina.

As tradicionais festas juninas existem para comemorar o dia de três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro. Mas o sucesso dessas festas é tão grande, que elas se estendem pelo mês de julho, com o nome de Festas Julinas. Em julho, a animação está garantida no Centro de Vivência do programa de acolhimento institucional Viva a Vida.

Fonte: Fé e Alegria do ES