Alunos do Santo Inácio participam de manifestação

Estudantes organizaram um mural com frases que expressam o desejo de um país melhor

Em pauta nas últimas semanas por conta dos protestos que se espalharam pelo Brasil, temas como a PEC 37, a corrupção, o preço dos transportes e melhorias na área da educação e da saúde, também foram temas de uma manifestação organizada pelos alunos do Colégio Santo Inácio (RJ).  Frases que expressam o desejo de mudança foram expostas em cartazes nas grades da instituição no dia 24 de junho.

“Os jovens estão nas ruas, rompendo a passividade. O Colégio tem que estimular os alunos a serem não apenas compassivos, mas a desenvolver a consciência política”, comentou o reitor do Santo Inácio, Pe. Luiz Antônio Monnerat, que, embora tenha apoiado a manifestação, teve de limitá-la ao espaço da escola.

Com criatividade e o apoio da instituição, os alunos conseguiram expor suas opiniões sobre os temas que afetam diretamente a vida de todos os brasileiros. “O Colégio entende que o Brasil está vivendo um momento único de indignação e esperança. Por isso, não poderia inibir essa manifestação, mas, como os alunos estão sob nossa responsabilidade, não poderíamos expô-los a qualquer risco físico fora do colégio”, explicou a diretora acadêmico-pedagógica do Santo Inácio, Ana Maria Loureiro.

Maria Beatriz Correa, representante do 2º ano do Ensino Médio no Grêmio, assumiu a coordenação do movimento depois de participar de uma manifestação realizada no dia 20 de junho, na Candelária. “Fui com meu pai e amigos e encontramos muitos colegas do Santo Inácio. Havia um clima festivo, mas também muita gente engajada. Como eu sabia que diversos alunos não poderiam participar nas ruas, e, na ausência dos presidentes do Grêmio, que estão na Colômbia, pensei em promover algo aqui no colégio”, disse Beatriz.

Cantando e gritando palavras de ordem, os alunos atraíram a atenção de quem passava. Não foram poucos os motoristas que buzinaram em apoio à manifestação. Os pedestres também se manifestaram e aplaudiram e conversaram com os jovens.

“Tenho dois filhos que estudam aqui no Ensino Fundamental e que me acompanharam na passeata da Avenida Atlântica. É muito importante que todos possam reclamar e tentar melhorar o País”, comentou Renata Acioly, ex-aluna do Santo Inácio.

Para Wallace Cardoso, que também parou para ver o protesto, o envolvimento dos jovens com questões que dizem respeito ao país é parte fundamental para o aprendizado.

Bernardo Miranda, aluno do Ensino Médio disse que debates sobre essas questões estão sendo programados pelo Grêmio. “A mobilização dentro da escola pode envolver e conscientizar quem não está acompanhando o movimento”, disse o estudante.

Fonte: Colégio Santo Inácio