Unisinos lança escola de Gestão e Negócios em Porto Alegre

"A Unisinos está criando uma identidade institucional de conhecimento, baseada na inovação e tecnologia"

foto
 
Com o tema Jornada Internacional em Gestão e Negócios: questões estratégias para a formação de competências em uma economia do conhecimento, a Unisinos lançou a Escola de Gestão e Negócios, em Porto Alegre. O evento teve atividades durante todo o dia, buscando o diálogo entre o conhecimento acadêmico e a prática de mercado. 
 
O encontro começou com um workshop, que teve como foco as questões de aprendizagem na construção do cenário econômico contemporâneo. No turno da tarde, painéis com o panorama da economia mundial e as principais relações entre as empresas e a universidade foram apresentados aos participantes. A primeira apresentação abordou as interações entre conhecimento e inovação e teve como moderador o coordenador do mestrado profissional em Gestão e Negócios, Jorge Verschoore.
 
O lançamento oficial da Escola de Gestão e Negócios da Unisinos aconteceu após a fala da decana da escola Yeda Souza, que apresentou o número de alunos ligados aos cursos de graduação da escola, cerca de 6 mil estudantes. O pró-reitor Administrativo, João Zani, o pró-reitor Acadêmico, Pe. Pedro Gilberto Gomes, e o reitor da Unisinos, padre Marcelo Fernandes de Aquino, também participaram do lançamento da escola, falando aos presentes sobre as perspectiva da universidade. O reitor afirmou que a instituição está vivendo um momento especial na estrutura organizacional. “A Unisinos está criando uma identidade institucional de conhecimento, baseada na inovação e tecnologia”, destacou Pe. Marcelo. 
 
Após a abertura, aconteceu a mesa redonda com foco nas questões estratégicas para a formação de competências em uma economia de conhecimento. O apresentador e jornalista Tulio Milman abriu o discussão com a seguinte pergunta: “O que o mercado espera de uma universidade hoje?” Um argumento que perpassou todas as repostas dos debatedores foi o entendimento da universidade como fornecedora de mão de obra qualificada. Outras questões debatidas foram: como acontece a proximidade entre a universidade e o mercado? Quem lidera nessa troca? A universidade está à frente, ao lado, ou atrás das empresas? As respostas giraram no sentido de buscar o abandono do academicismo e entendimento do empreendedorismo como uma atitude empreendedora, que ultrapassa a questão de ter o próprio negócio, pois está explícita nos atos de quem desenvolve o perfil. “Assumir riscos, liderar sua equipe e seguir em frente, esse é o tipo de atitude que define um empreendedor”, afirmou Schirmer.
 
Fonte: Unisinos