Atento à crise na Síria, Papa Francisco reforça ajuda aos exilados

Pontífice quer reunião de esforços para terminar a guerra civil no País

foto
 
Nesta quinta-feira (6), antes da audiência geral, o Papa Francisco recebeu na Casa Santa Marta os organismos caritativos católicos empenhados em relação à crise na Síria. Depois de lhes agradecer pela atividade humanitária que desempenham na Síria e países vizinhos em benefício das populações vítimas do conflito, o Papa declarou ter encorajado pessoalmente o Conselho Pontifício a promover esta reunião de coordenação das atividades desses organismos. 
 
Pondo em realce a preocupação constante da Santa Sé de modo particular em relação às vítimas da guerra, o Papa recordou as ações já empreendidas por Bento XVI, que fez apelos para tentar terminar com o conflito. Papa Francisco renovou vigorosamente o apelo à paz já lançado no dia da Páscoa em que afirmava que já foi derramado demasiado sangue e que é preciso encontrar uma solução para a crise. 
 
Recordando que a comunidade internacional reafirmou nas últimas semanas a intenção de dar início a um dialogo que ponha fim à guerra, o Papa disse que é preciso apoiar essas tentativas, na esperança de que possam levar à paz. E acrescentou: “A Igreja sente-se chamada a dar o testemunho, humilde, mas concreto e eficaz, da caridade que aprendeu de Cristo, Bom Samaritano. Sabemos que onde alguém sofre, Cristo está presente. Não podemos desertar precisamente nas situações de maior sofrimento”.
 
O Papa pediu aos diversos organismos caritativos da Igreja que tentam dar apoio às vítimas do conflito sírio que desenvolvam “uma ação diligente e coordenada”. E concluiu com um apelo à comunidade internacional: “Peço que, juntamente com a busca de uma solução negociada para o conflito, se favoreça a ajuda humanitária aos prófugos e refugiados sírios, visando em primeiro lugar o bem da pessoa e a tutela da sua dignidade”.
 
Fonte: News VA