Companhia no Iraque pode ser restaurada

Jesuíta americano espera retomada da missão no País

 

fotoO padre jesuíta Michael Linden (foto), superior da Companhia de Jesus na Jordânia, tem uma tarefa desafiadora: ele é responsável por encontrar maneiras para a “restauração” da Companhia de Jesus no Iraque. Os jesuítas chegaram em Bagdá em 1932, onde construíram e estabeleceram o Bagdad College. Em 1959, os jesuítas fundaram a segunda escola no País, a Al Hikma University.
 
No entanto, segundo explicou o Pe. Linden, “os jesuítas americanos receberam um prazo para sair do Iraque, em 1968 e 1969. As duas escolas foram dissolvidas e incorporadas com o sistema estadual de escolas do País e os jesuítas norte-americanos foram repatriados para os EUA”. Linden disse que muitos no Iraque se lembram das escolas com carinho. “Há bons cristãos e muçulmanos, secularistas e devotos, que expressam a esperança de dar boas-vindas aos jesuítas”, diz ele.
 
Se os jesuítas retornarem ao Iraque, Pe. Linden disse que será difícil prever a consequência da presença jesuíta no País. “Alguns gostariam que os jesuítas dos EUA chegassem com uma equipe completa para retomar o Bagdá College de onde ele parou. Mas não é assim que funciona. Mas alguns acreditam que isso é possível”.
 
Pe. Linden também acredita que o Iraque tem um potencial de vocação. “Os cristãos iraquianos vão dar uma colaboração muito grande. Agora é questão de tempo”.
 
Fonte: National Jesuits News