ETE ajuda na formação de empreendedores

Na instituição, o empreendedorismo é uma disciplina importante, porque orienta e assessora os alunos

O que diferencia Santa Rita do Sapucaí (MG) de várias outras cidades do país é a sua estrutura e cultura tecnológica, implementadas desde a criação da ETE FMC (Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa). A cidade conta com excelentes instituições de ensino, duas incubadoras de empresas premiadas nacionalmente e diversas empresas especializadas em prestação de serviços estratégicos de suporte, tudo isso garante a vitalidade e a continuidade de boa parte das pequenas indústrias de base tecnológica que são criadas e desenvolvidas no município. O conceito de empreendedorismo, do correr atrás e não esperar as coisas caírem do céu é despertado muito cedo na cidade, já que é ensinado em boa parte das escolas, desde o ensino fundamental até a faculdade.

Na ETE, o empreendedorismo é uma das disciplinas mais importantes e tem como um de seus objetivos orientar e assessorar os alunos a criarem protótipos e projetos que realmente atenderão necessidades da sociedade, sendo estes viáveis tecnologicamente, mercadologicamente e financeiramente. São vários os casos em que ex-alunos da instituição, se transformaram em empresários a partir desta experiência e deste encontro com o empreendedorismo.

Criada a pouco mais de seis anos, a matéria de empreendedorismo foi integrada à grade curricular dos alunos do último ano do curso técnico, para aumentar as suas chances de sucesso no mercado de trabalho e para despertar e servir de apoio àqueles que desejam iniciar sua própria empresa, muitas vezes com o apoio de uma das Incubadoras do município.

A disciplina tem como proposta explorar, em um sentido amplo, todas as vertentes do empreendedorismo, tais como: pró-atividade, maior disposição para correr riscos, busca de informações, persistência, iniciativa perante os obstáculos e a busca constante pela inovação. Como parte do conteúdo da disciplina os alunos também são incentivados e orientados a elaborar um plano de negócio, que consiste em uma ferramenta importante para quem deseja abrir um novo negócio.

Segundo o professor de Empreendedorismo, Rogério Abranches, este documento é de fundamental importância para que as chances de erro sejam reduzidas: “Como o aluno apresenta um projeto técnico, que é um verdadeiro protótipo em funcionamento, na feira anual da escola, o ProjETE (Feira de Projetos Futuristas da ETE), nós aproveitamos para explorar essa possibilidade, fazendo com que este projeto seja o primeiro produto de uma empresa, que será demonstrada através do plano de negócio”, afirma o professor.

Já o diretor geral da instituição, o professor Alexandre Loures Barbosa comentou sobre o apoio fornecido para os alunos no surgimento de novas iniciativas: “Na ETE FMC, quem deseja iniciar um empreendimento, encontra um bom suporte. Nossa intenção é fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que o aluno seja amparado”, disse o diretor.

Nas salas de aula, os alunos trabalham em equipe como se estivessem realmente integrados ao ambiente empresarial. Durante as aulas de empreendedorismo eles são orientados a realizar uma ampla pesquisa de campo para mensurar a real viabilidade do produto, avaliar e segmentar público a ser atingido, descobrir se existem produtos similares no mercado e comparar fatores positivos e negativos. Em seguida, eles determinam como será a divulgação, qual a melhor maneira de anunciá-lo, além de determinar a forma mais eficiente de distribuição. Por fim, trabalha-se a área financeira, os custos de desenvolvimento e produção, onde buscar recursos financeiros para capitalizar a empresa nascente e a definição do custo mensal do empreendimento.

“Nosso objetivo é que o aluno conclua o curso técnico consciente da importância de ser um empreendedor, e deixamos bem claro que trabalhar empreendedorismo não é necessariamente para quem deseja ou desejará abrir o próprio negócio, mas também para quem deseja empreender uma carreira de sucesso, já que atuando dentro de uma empresa, o profissional precisa, mais do que nunca, se utilizar de comportamentos e atitudes empreendedoras”, finaliza Abranches.

Fonte: ETE FMC